Atalho: 5RCA03X
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisa questiona relação entre doença não-proliferativa e o câncer de mama

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A doença benigna da mama1 está sendo diagnosticada mais freqüentemente com o rastreamento realizado pela mamografia2, a qual faz uma estimativa de risco mais confiável para mulheres que recebem este diagnóstico3, de acordo com o Dr. Lynn C. Hartmann, da Mayo Clinic College of Medicine in Rochester, Minnesota.

Para a investigação, foram observadas 9087 mulheres tratadas para doença benigna da mama1 entre 1967 e 1991 na Mayo Clinic. Doença não proliferativa foi diagnosticada em 66,7%, doença proliferativa sem atipia em 29,6% e hiperplasia4 com atipia em 3,7%. Durante 15 anos de seguimento, 707 casos de câncer5 de mama1 foram documentados.

O risco relativo associado com atipia comparado ao da população geral foi de 4,24. Para lesões6 proliferativas sem atipia e para lesões6 não proliferativas foi de 1,88 e 1,27 respectivamente. O risco excessivo persistiu por pelo menos 25 anos depois da biópsia7 inicial.

Os autores observaram uma significante interação entre idade e hiperplasia4 atípica. O risco de câncer5 de mama1 foi 6,99 vezes maior que o risco esperado quando o diagnóstico3 ocorreu antes da idade de 45 anos e 3,37 vezes maior se diagnosticado depois de 55 anos.

A presença de história familiar para câncer5 de mama1 tem algum efeito no risco associado com a histopatologia8. Entre mulheres com achados não proliferativos e com pelo menos um parente de primeiro grau com câncer5 de mama1, o risco relativo foi de 1,62. Naqueles sem história familiar, o risco não foi mais elevado do que o visto na população geral.

Entre as mulheres com hiperplasia4 atípica e sem história familiar, o risco relativo foi de 2,95. E naquelas com história familiar foi de 4,00.

Em um artigo relacionado, o Dr. Joann G. Elmore da University of Washington School of Medicine em Seattle e o Dr. Gerd Gigerenzer do Max Planck Institute for Human Development em Berlim esclareceram que embora o risco relativo deva ser explicado para os pacientes, "deve-se deixar claro que este é um risco para o diagnóstico3, não um risco de morte, e que o tratamento melhorou acentuadamente nos últimos anos".

Fonte: The New England Journal of Medicine

NEWS.MED.BR, 2005. Pesquisa questiona relação entre doença não-proliferativa e o câncer de mama. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/886/pesquisa-questiona-relacao-entre-doenca-nao-proliferativa-e-o-cancer-de-mama.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.

Complementos

1 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
2 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
7 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
8 Histopatologia: Histologia de tecidos orgânicos que apresentam lesões. A histologia é uma disciplina biomédica que realiza estudos da estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
Gostou do artigo? Compartilhe!