Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: publicada atualização do Guideline da American Cancer Society sobre rastreamento do câncer da mama em mulheres com risco médio

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para atualizar o protocolo de 2003 da American Cancer1 Society (ACS) sobre rastreamento do câncer1 de mama2 em mulheres com risco médio de desenvolver este tipo de tumor3, a ACS encomendou uma revisão de evidências sistemáticas da literatura para informar dados para atualização e análise suplementar dos registros de mamografia4 na abordagem de questões relacionadas ao intervalo de triagem. A formulação de recomendações foi baseada na qualidade das evidências e no julgamento (incorporando valores e preferências) sobre o equilíbrio entre benefícios e malefícios.

A mamografia4 em mulheres com idades entre 40 a 69 anos está associada a uma redução nas mortes por câncer1 de mama2 através de uma série de estudos e a inferência de evidências apoia o rastreamento do câncer1 da mama2 em mulheres com 70 anos ou mais velhas que gozam de boa saúde5. Estimativas do risco cumulativo de resultados falso-positivos de exames são maiores se o rastreamento começa em idades mais jovens, devido ao maior número de mamografias, bem como à taxa de reconvocação ser maior em mulheres mais jovens. A qualidade da evidência para sobrediagnóstico6 não é suficiente para estimar um risco de vida com confiança. Análises avaliando o intervalo de triagem demonstram características do tumor3 mais favoráveis quando as mulheres na pré-menopausa7 são avaliadas anualmente versus bianualmente. Evidências não apoiam a rotina de exame clínico das mamas8 como método de triagem para as mulheres com risco médio.

As novas recomendações:

  • A ACS recomenda que as mulheres com um risco médio de câncer1 de mama2 devem ser submetidas à mamografia4 de rastreamento regular, começando na idade de 45 anos (forte recomendação).
  • Mulheres com idade entre 45 a 54 anos devem ser rastreadas anualmente (recomendação qualificada).
  • Mulheres com 55 anos ou mais devem fazer a transição para triagem bianual ou ter a oportunidade de continuar a triagem anual (recomendação qualificada).
  • As mulheres devem ter a oportunidade de começar a triagem anual entre as idades de 40 e 44 anos (recomendação qualificada).
  • As mulheres devem continuar a triagem com mamografia4, desde que a sua saúde5 geral seja boa e elas tenham uma expectativa de vida9 de 10 anos ou mais (recomendação qualificada).
  • A ACS não recomenda exame clínico das mamas8 para o rastreamento do câncer1 de mama2 entre as mulheres de risco médio em qualquer idade (recomendação qualificada).
  • As orientações são para as mulheres com risco médio de câncer1 de mama2. As mulheres com alto risco - por causa de sua história familiar, outras condições existentes nas mamas8 ou qualquer outra razão - necessitam de uma triagem mais precoce e/ou mais frequente. Estas devem conversar com seus médicos para maiores esclarecimentos.

Estas diretrizes atualizadas da ACS fornecem recomendações baseadas em evidências para o rastreamento do câncer1 de mama2 para mulheres com risco médio para este tumor3. Estas recomendações devem ser consideradas pelos médicos e pelas mulheres em discussões sobre a triagem do câncer1 da mama2.

Observações:

  • Forte recomendação: significa que os benefícios da adesão às intervenções descritas no protocolo superam os efeitos indesejáveis que podem resultar da triagem.
  • Recomendações qualificadas: indicam que há provas claras de benefício do rastreamento, mas menos certeza sobre o equilíbrio entre benefícios e malefícios, ou sobre valores e preferências dos pacientes, o que poderia levar a diferentes decisões sobre a triagem.

Fonte: The Journal of the American Medical Association (JAMA), volume 314, número 15, de 20 de outubro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. JAMA: publicada atualização do Guideline da American Cancer Society sobre rastreamento do câncer da mama em mulheres com risco médio. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/808374/jama-publicada-atualizacao-do-guideline-da-american-cancer-society-sobre-rastreamento-do-cancer-da-mama-em-mulheres-com-risco-medio.htm>. Acesso em: 8 dez. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
4 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Sobrediagnóstico: Diagnóstico de uma doença que nunca provocará sintomas ou a morte de um(a) paciente.
7 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
8 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
9 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
Gostou do artigo? Compartilhe!