Gostou do artigo? Compartilhe!

Fumar pode causar psicose? Revisão sistemática com publicação pelo The Lancet Psychiatry

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Muitos pacientes com psicose1 também fumam. Será que o uso do tabaco pode estar envolvido com o início desta condição? Sameer Jauhar, James MacCabe e Hannah Cagney exploraram esta associação em um estudo financiado pelo NIHR Maudsley Biomedical Research Centre.

Embora a associação entre doença psicótica e o hábito de fumar cigarro seja conhecida, as razões não são claras sobre o motivo de pessoas com psicose1 serem mais propensas a fumar do que outras da população em geral. O objetivo desta revisão foi testar várias hipóteses:

  1. O uso diário de tabaco está associado a um risco aumentado de doença psicótica em estudos caso-controle e estudos prospectivos?
  2. O tabagismo está associado a uma idade mais precoce de início da doença psicótica?
  3. Uma idade mais precoce no início do hábito de fumar está associada a um risco aumentado de psicose1?

Os pesquisadores também tiveram como objetivo obter uma estimativa da prevalência2 do tabagismo nos pacientes que apresentavam um primeiro episódio de psicose1.

Foram pesquisadas as bases de dados Embase, Medline e PsycINFO e estudos observacionais selecionados em que as taxas de tabagismo foram relatadas em pessoas com transtornos psicóticos, em comparação com os controles. Calculou-se a diferença da média ponderada para a idade de início da psicose1 e para a idade de início do hábito de fumar. Para resultados categóricos, foram calculadas razões de chances de estudos transversais e razões de risco de estudos prospectivos.

De 3.717 citações, 61 estudos compreendendo 72 amostras preencheram os critérios de inclusão. A amostra total incluiu 14.555 usuários de tabaco e 273.162 não-usuários. A prevalência2 de tabagismo em pacientes apresentando o seu primeiro episódio de psicose1 foi 0,57 (IC 95% 0,52-0,62; p<0,0001). Em estudos de caso-controle, a razão de chances globais para o primeiro episódio de psicose1 em fumantes versus não-fumantes foi de 3,22 (IC 95% 1,63-6,33), com alguma evidência de viés de publicação (Teste de Egger p=0,018 e Teste de Begg p=0,007). Para estudos prospectivos, foi calculado um risco relativo global de novos distúrbios psicóticos em fumantes diários versus não-fumantes de 2,18 (IC 95% 1,23-3,85). Fumantes diários desenvolveram doença psicótica em uma idade mais precoce do que não-fumantes (diferença média ponderada -1,04 anos; IC 95% -1,82 a -0,26). Aqueles com psicose1 começavam a fumar em uma idade não significativamente mais precoce do que os controles saudáveis (-0,44 anos; IC 95% -1,21 a 0,34).

O uso diário de tabaco está associado ao aumento do risco de psicose1 em uma idade de início mais precoce da doença psicótica. A possibilidade de uma relação causal entre o uso de tabaco e a psicose1 merece uma análise mais aprofundada.

Fonte: The Lancet Psychiatry, publicação online, de 9 de julho de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Fumar pode causar psicose? Revisão sistemática com publicação pelo The Lancet Psychiatry. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/795429/fumar-pode-causar-psicose-revisao-sistematica-com-publicacao-pelo-the-lancet-psychiatry.htm>. Acesso em: 27 mai. 2020.

Complementos

1 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
2 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
Gostou do artigo? Compartilhe!