Gostou do artigo? Compartilhe!

Hipertiroidismo subclínico pode aumentar risco de fraturas ósseas: meta-análise publicada pelo JAMA

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As associações entre as disfunções tireoidianas subclínicas e o risco de fraturas não são claras, faltam ensaios clínicos1 randomizados para definir esta questão. Um trabalho divulgado pelo The Journal of the American Medical Association (JAMA) avaliou a associação da disfunção tireoidiana subclínica com fraturas de quadril, coluna, fora da coluna ou quaisquer outras fraturas.

Foram selecionados estudos das bases de dados MEDLINE e EMBASE (desde o início a 26 de março de 2015), sem restrições de linguagem para os estudos prospectivos de coorte2 com informações sobre a função da tireoide3 e fraturas subsequentes.

A extração de dados individuais foi obtida a partir de 13 coortes prospectivas nos Estados Unidos, Europa, Austrália e Japão. Os níveis de função tireoidiana foram definidos como:

  • Eutireoidismo: hormônio4 estimulante da tireoide3 [TSH] entre 0,45-4,49 mUI/L.
  • Hipertireoidismo5 subclínico: TSH<0,45 mUI/L.
  • Hipotireoidismo6 subclínico: TSH≥4,50-19,99 mIU/L).

Com concentrações normais de tiroxina.

O desfecho primário foi a fratura7 de quadril. Quaisquer fraturas, fraturas fora da coluna ou fraturas vertebrais clínicas foram os desfechos secundários.

Entre 70.298 participantes, 4.092 (5,8%) tinham hipotireoidismo6 subclínico e 2.219 (3,2%) tinham hipertireoidismo5 subclínico. A partir dos resultados observados, concluiu-se que o hipertiroidismo subclínico foi associado a um risco aumentado de fraturas de quadril e outras fraturas, particularmente entre aqueles com níveis de TSH menores que 0,10 mUI/L e aqueles com hipertireoidismo5 subclínico endógeno. Não foi encontrada associação entre o hipotireoidismo6 subclínico e o risco de fratura7.

Mais estudos são necessários para determinar se o tratamento do hipertireoidismo5 subclínico pode prevenir fraturas.

Fonte: The Journal of the American Medical Association (JAMA), volume 313, número 20, de 26 de maio de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Hipertiroidismo subclínico pode aumentar risco de fraturas ósseas: meta-análise publicada pelo JAMA. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/758952/hipertiroidismo-subclinico-pode-aumentar-risco-de-fraturas-osseas-meta-analise-publicada-pelo-jama.htm>. Acesso em: 22 set. 2019.

Complementos

1 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
2 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
3 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
4 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
5 Hipertireoidismo: Doença caracterizada por um aumento anormal da atividade dos hormônios tireoidianos. Pode ser produzido pela administração externa de hormônios tireoidianos (hipertireoidismo iatrogênico) ou pelo aumento de uma produção destes nas glândulas tireóideas. Seus sintomas, entre outros, são taquicardia, tremores finos, perda de peso, hiperatividade, exoftalmia.
6 Hipotireoidismo: Distúrbio caracterizado por uma diminuição da atividade ou concentração dos hormônios tireoidianos. Manifesta-se por engrossamento da voz, aumento de peso, diminuição da atividade, depressão.
7 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
Gostou do artigo? Compartilhe!