Gostou do artigo? Compartilhe!

Complexo B pode desacelerar atrofia cerebral em idosos com déficit cognitivo, segundo estudo publicado no periódico PLoS ONE

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um aumento da atrofia1 cerebral é frequentemente observado em pessoas idosas, em particular nas que sofrem de declínio cognitivo2. O aumento das taxas de homocisteína é fator de risco3 para a atrofia1 cerebral, déficit cognitivo2 e demência4. As concentrações plasmáticas de homocisteína podem ser reduzidas pela administração de vitaminas do complexo B.

Para determinar se a suplementação5 de vitamina6 B (que reduz os níveis plasmáticos totais de homocisteína) pode desacelerar a atrofia1 cerebral em pessoas com déficit cognitivo leve7, foi realizado um estudo randomizado8, duplo-cego e controlado com placebo9 envolvendo 271 indivíduos de mais de 70 anos com déficit cognitivo leve7. Os participantes foram divididos em dois grupos de igual tamanho. Um grupo foi tratado com ácido fólico (0,8 mg/dia), vitamina6 B12 (0,5 mg/dia) e vitamina6 B6 (20 mg/dia) e o outro grupo recebeu placebo9. O tratamento durou 24 meses. A avaliação principal foi a mudança na taxa de atrofia1 cerebral através de uma série de ressonâncias nucleares magnéticas. O estudo foi publicado no periódico Public Library of Science One (PLoS ONE).

No total, 168 participantes concluíram a avaliação (85 no grupo de tratamento ativo e 83 no grupo que recebeu placebo9). A taxa média de atrofia1 cerebral no ano foi de 0,76% no grupo que recebeu as vitaminas, e de 1,08% no grupo do placebo9. A resposta ao tratamento foi relacionada aos níveis de homocisteína: a taxa de atrofia1 nos participantes com homocisteína maior do que 13 µmol/L foi 53% mais baixa no grupo de tratamento ativo. Quanto maior a atrofia1, menor o desempenho em testes cognitivos10. Não houve diferenças significativas em relação aos efeitos adversos com o uso de vitaminas do complexo B.

Os pesquisadores da Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, concluíram que a aceleração da atrofia1 cerebral em idosos com déficit cognitivo2 pode ser retardada com o tratamento com vitaminas do complexo B que reduzem a homocisteína. Dezesseis porcento daqueles com mais de 70 anos têm déficit cognitivo2 e metade daqueles com doença de Alzheimer11. Devido ao fato da atrofia1 cerebral ser uma característica daqueles com déficit cognitivo leve7 que desenvolvem a doença de Alzheimer11, novas pesquisas são necessárias para verificar se o mesmo tratamento pode retardar o desenvolvimento da doença de Alzheimer11.

Fonte: Public Library of Science One (PLoS ONE), de 8 de setembro de 2010

NEWS.MED.BR, 2010. Complexo B pode desacelerar atrofia cerebral em idosos com déficit cognitivo, segundo estudo publicado no periódico PLoS ONE. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/70448/complexo-b-pode-desacelerar-atrofia-cerebral-em-idosos-com-deficit-cognitivo-segundo-estudo-publicado-no-periodico-plos-one.htm>. Acesso em: 21 set. 2019.

Complementos

1 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
2 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
3 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
4 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
5 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Déficit cognitivo leve: Declínio de uma ou de várias funções cognitivas, sem afetar a funcionalidade do indivíduo, ou seja, a pessoa continua executando as mesmas atividades, embora com uma dificuldade maior e tendo a necessidade de usar algumas estratégias diferenciadas para cumpri-las. A perda de memória é o sintoma mais comum e o mais frequentemente notado.
8 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
9 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
10 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
11 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

09/09/2010 - Complemento feito por marcos
Re: Complexo B pode desacelerar atrofia cerebral em idosos com déficit cognitivo, segundo estudo publicado no periódico PLoS ONE
Os estudos apontados acima, revelam que VITAMINAS do COMPLEXO B, auxiliam no metabolismo dos neurônios, podendo reduzir ou miniminizar os efeitos de uma possível patologia degenerativa.
Sabe-se que as vitaminas do COMPLEXO B, também exercem um papel fundamental em neuropatias periféricas, onde o mecanismo mais provável de ação se concentra na preservação e possível reparação da bainha de mielina, logo AS VITAMINAS DO COMPLEXO B, são associadas ao metabolismo de fibras mielínicas.
Este é um grande avanço na prevenção da perda de funções cognitivas, pois quanto mais tempo elas forem preservadas, maiores são as chances do paciente levar uma vida com boa qualidade.
PORÉM , FUNDAMENTAL TAMBÉM É CONSIDERAR QUE O CÉREBRO , É UM ÓRGÃO QUE NECESSITA DE ESTÍMULOS CONSTANTES PARA QUE SEU METABOLISMO POSSA FUNCIONAR ADEQUADAMENTE, E PARA QUE ISTO ACONTEÇA, ATIVIDADES QUE ESTIMULAM O RECIOCÍNIO E A MEMÓRIA SÃO PONTOS FUNDAMENTAIS NA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇAS DEGENERATIVAS , COM SINTOMAS COGNITIVOS.

  • Entrar
  • Assinar