Gostou do artigo? Compartilhe!

Refrigerantes e envelhecimento celular: associações entre o consumo de refrigerantes adoçados com açúcar e o comprimento dos telômeros em adultos saudáveis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O objetivo do estudo, publicado pelo American Journal of Public Health, foi testar se a manutenção do comprimento dos telômeros de leucócitos1, que pode ser relacionada ao envelhecimento celular, proporciona uma ligação entre o consumo de bebidas adoçadas com açúcar2 e o risco de doenças cardiometabólicas.

Os telômeros são estruturas ribonucleoproteicas nas extremidades dos cromossomos3 lineares que servem para proteger os cromossomos3 de fusão por recombinação homóloga ou não-homóloga e instabilidade. Eles se encurtam a cada divisão celular mitótica. Para manter o comprimento telomérico, células4 com alta capacidade proliferativa expressam a telomerase. Mas, apesar disso, células4 humanas demonstram encurtamento telomérico com a idade e mutações nos genes que codificam componentes da telomerase causam encurtamento telomérico excessivo, que clinicamente se traduz em anemia5 aplástica, fibrose6 pulmonar idiopática7, leucemia8 mieloide aguda, cirrose9 hepática10 e hiperplasia11 nodular regenerativa do fígado12.

No presente trabalho, pesquisadores da Universidade da California, em São Francisco, examinaram em estudo transversal as associações entre o consumo de bebidas adoçadas com açúcar2, refrigerante diet e sucos de frutas e o comprimento dos telômeros em uma amostra nacionalmente representativa de adultos saudáveis. A população do estudo incluiu 5.309 adultos norte-americanos, com idades entre 20 e 65 anos, sem histórico de diabetes13 ou de doença cardiovascular, a partir dos dados do National Health and Nutrition Examination Surveys, entre 1999 e 2002. O comprimento dos telômeros dos leucócitos1 foi determinado a partir de amostras de DNA. A dieta foi avaliada utilizando relatórios alimentares de 24 horas. As associações foram verificadas por meio de regressão linear multivariada para o desfecho transformação logarítmica do comprimento dos telômeros.

Após ajustes para as características sócio-demográficas e de saúde14, os resultados mostram que o consumo de refrigerantes adoçados com açúcar2 foi associado a telômeros mais curtos (b=-0,010; 95% intervalo de confiança [IC]=-0,020, -0,001; p=0,04). O consumo de 100% de sucos de frutas foi marginalmente associado a telômeros mais longos (b=0,016; IC 95%=-0,000, 0,033; p=0,05). Não foram observadas associações significativas entre o consumo de refrigerantes diet ou bebidas adoçadas não carbonatadas e o comprimento dos telômeros.

Concluiu-se que o consumo regular de refrigerantes adoçados com açúcar2 pode influenciar o desenvolvimento de doenças metabólicas através do envelhecimento celular acelerado.

Fonte: American Journal of Public Health, publicação online, de 16 de outubro de 2014

NEWS.MED.BR, 2014. Refrigerantes e envelhecimento celular: associações entre o consumo de refrigerantes adoçados com açúcar e o comprimento dos telômeros em adultos saudáveis. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/578957/refrigerantes-e-envelhecimento-celular-associacoes-entre-o-consumo-de-refrigerantes-adocados-com-acucar-e-o-comprimento-dos-telomeros-em-adultos-saudaveis.htm>. Acesso em: 15 dez. 2019.

Complementos

1 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
2 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
3 Cromossomos: Cromossomos (Kroma=cor, soma=corpo) são filamentos espiralados de cromatina, existente no suco nuclear de todas as células, composto por DNA e proteínas, sendo observável à microscopia de luz durante a divisão celular.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
6 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
7 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
8 Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
9 Cirrose: Substituição do tecido normal de um órgão (freqüentemente do fígado) por um tecido cicatricial fibroso. Deve-se a uma agressão persistente, infecciosa, tóxica ou metabólica, que produz perda progressiva das células funcionalmente ativas. Leva progressivamente à perda funcional do órgão.
10 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
11 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
12 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
13 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!