Atalho: 5BW4A3C
Gostou do artigo? Compartilhe!

The Journal of Neuroscience: exposição intra-útero à meta-anfetamina pode resultar em danos cerebrais mais severos do que aqueles causados pelo álcool

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado no The Journal of Neuroscience sugere que bebês1 expostos à meta-anfetamina no período gestacional apresentam danos cerebrais mais severos do que aqueles bebês1 expostos ao álcool.

Alterações semelhantes foram encontradas em ambos os grupos, mas algumas delas foram mais severas no grupo exposto à meta-anfetamina. A extensão dos danos causados por esta droga ainda não está esclarecida.

É sabido que a exposição ao álcool durante a gravidez2 é tóxica para o feto3 em desenvolvimento. A pesquisadora Elizabeth Sowell e colaboradores da Universidade da Califórnia publicaram estudo mostrando que os efeitos da exposição pré-natal à meta-anfetamina, ou a uma combinação de meta-anfetamina e álcool, pode causar danos cerebrais ainda mais graves. Estes achados mostram a importância do tratamento do abuso de drogas para gestantes.

Observou-se que o núcleo caudado4, estrutura importante para o aprendizado, memorização, controle motor e motivação, possui tamanho menor em crianças expostas à meta-anfetamina durante a gestação do que naquelas expostas ao álcool, as quais já possuem núcleo caudado4 menor do que as crianças não expostas a drogas desta natureza no período gestacional.


Fonte: The Journal of Neuroscience de 17 de março de 2010.

NEWS.MED.BR, 2010. The Journal of Neuroscience: exposição intra-útero à meta-anfetamina pode resultar em danos cerebrais mais severos do que aqueles causados pelo álcool. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/56835/the-journal-of-neuroscience-exposicao-intra-utero-a-meta-anfetamina-pode-resultar-em-danos-cerebrais-mais-severos-do-que-aqueles-causados-pelo-alcool.htm>. Acesso em: 12 nov. 2019.

Complementos

1 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
4 Núcleo Caudado: Massa cinzenta, alongada, do neoestriado que se localiza adjacentemente ao ventrículo lateral do cérebro.
Gostou do artigo? Compartilhe!