Gostou do artigo? Compartilhe!

Aumento do cálcio pode elevar a chance de ter diabetes tipo 2 em indivíduos com alto risco cardiovascular, em publicação do Diabetes Care

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A resistência à insulina1 e sua secreção dependem da homeostase do cálcio. Estudos transversais têm associado níveis elevados de cálcio sérico com marcadores do metabolismo2 prejudicado da glicose3. No entanto, apenas um estudo de coorte4 prospectivo5 demonstrou um aumento do risco de diabetes6 em indivíduos com aumento das concentrações de cálcio sérico. O objetivo do estudo publicado pelo periódico Diabetes6 Care foi investigar prospectivamente a associação entre as concentrações de cálcio sérico ajustado para a albumina7 e o risco de diabetes tipo 28 em pacientes com alto risco cardiovascular.

O projeto de pesquisa fez a avaliação prospectiva dos participantes a partir de dois estudos espanhois em andamento, conhecidos como Prevención Dieta Mediterránea (PREDIMED), em que os níveis séricos de cálcio foram medidos no início do estudo e anualmente durante o acompanhamento.

Após um período de acompanhamento médio de 4,78 anos, ocorreram 77 novos casos de diabetes tipo 28. Um aumento dos níveis séricos de cálcio durante o seguimento foi relacionado ao aumento do risco de diabetes6. Em comparação com os indivíduos no tercil mais baixo (-0,78 ± 0,29 mg/dL9), a taxa de risco (HR) e IC 95% para a incidência10 de diabetes6 em indivíduos no tercil mais alto de mudança (0,52 ± 0,13 mg/dL9) durante acompanhamento foi de 3,48 (IC 95% 1,48-8,17, p=0,01). Quando o cálcio sérico ajustado para a albumina7 foi analisado como uma variável contínua, pelo aumento de 1 mg/dL9, a HR de incidência10 de diabetes6 foi de 2,87 (IC 95% 1,18-6,96; valor p=0,02). Estas associações permaneceram significativas após a exclusão dos indivíduos que tomavam suplementos de cálcio ou daqueles com níveis de cálcio fora do intervalo normal.

As conclusões do trabalho mostram que um aumento nas concentrações de cálcio sérico está relacionado com um aumento do risco de diabetes tipo 28 em indivíduos com alto risco cardiovascular.

Fonte: Diabetes6 Care, publicação online de 19 de agosto de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Aumento do cálcio pode elevar a chance de ter diabetes tipo 2 em indivíduos com alto risco cardiovascular, em publicação do Diabetes Care. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/564702/aumento-do-calcio-pode-elevar-a-chance-de-ter-diabetes-tipo-2-em-individuos-com-alto-risco-cardiovascular-em-publicacao-do-diabetes-care.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
2 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
3 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
8 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
9 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
10 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!