Gostou do artigo? Compartilhe!

Ooforectomia preventiva foi associada a uma redução de 80% no risco de câncer de ovário, das trompas de Falópio ou de câncer peritoneal em portadoras da mutação BRCA1 ou BRCA2

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os objetivos deste estudo foram estimar a redução do risco de câncer1 de ovário2, trompa de Falópio ou câncer1 peritoneal em mulheres com uma mutação3 BRCA1 ou BRCA2 após ooforectomia4, por idade da ooforectomia4, para estimar o impacto da ooforectomia4 profilática na mortalidade5 por todas as causas e para estimar a sobrevida6 de cinco anos associada a tumores de ovário2, ocultos e peritoneais, clinicamente detectados na coorte7 estudada. A pesquisa foi publicada pelo Journal of Clinical Oncology.

As mulheres com mutação3 BRCA1 ou BRCA2 foram identificadas a partir de um registro internacional; 5.783 mulheres completaram um questionário de base e mais de um questionário de seguimento. As mulheres foram observadas até diagnóstico8 de câncer1 de ovário2, trompa de Falópio, ou peritoneal, a morte, ou a data do acompanhamento mais recente. As razões de risco (HR) para a incidência9 de câncer1 e mortalidade5 por todas as causas associadas à ooforectomia4 foram avaliadas usando análises de sobrevivência10 dependentes do tempo.

Após um período médio de acompanhamento de 5,6 anos 186 mulheres desenvolveram ou câncer1 de ovário2 (n=132), das trompas de falópio (n=22) ou peritoneal (n=32), das quais 68 morreram. HR para câncer1 de ovário2, trompas de Falópio ou câncer1 peritoneal associado à ooforectomia4 bilateral foi de 0,20 (IC 95%, 0,13-0,30; P<0,001). Entre as mulheres que não tinham histórico de câncer1 no início do estudo, a HR para a mortalidade5 por todas as causas de 70 anos associada a uma ooforectomia4 foi de 0,23 (IC 95%, 0,13-0,39; P<0,001).

Concluiu-se que a ooforectomia4 preventiva foi associada com a redução de 80% no risco de câncer1 de ovário2, das trompas de Falópio ou de câncer1 peritoneal em portadoras da mutação3 BRCA1 ou BRCA2 e uma redução de 77% na mortalidade5 por todas as causas.

Fonte: Journal of Clinical Oncology, publicação online de 24 de fevereiro de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Ooforectomia preventiva foi associada a uma redução de 80% no risco de câncer de ovário, das trompas de Falópio ou de câncer peritoneal em portadoras da mutação BRCA1 ou BRCA2. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/529129/ooforectomia-preventiva-foi-associada-a-uma-reducao-de-80-no-risco-de-cancer-de-ovario-das-trompas-de-falopio-ou-de-cancer-peritoneal-em-portadoras-da-mutacao-brca1-ou-brca2.htm>. Acesso em: 1 dez. 2020.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
3 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
4 Ooforectomia: Ablação ou retirada de um ou dos dois ovários.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
7 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
10 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
Gostou do artigo? Compartilhe!