Gostou do artigo? Compartilhe!

Caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona reduz risco de parto prematuro espontâneo em artigo do American Journal of Obstetrics & Gynecology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado pelo periódico American Journal of Obstetrics & Gynecology relata que o caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona reduz em cerca de 33% a recorrência1 de parto prematuro espontâneo em mulheres com história anterior de parto prematuro espontâneo. Uma concentração terapêutica2 não foi determinada, dificultando qualquer tentativa de aperfeiçoar o tratamento. Este estudo avaliou a relação entre as concentrações plasmáticas de caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona e a taxa de parto prematuro espontâneo em mulheres com gestação única.

Uma única amostra de sangue3 foi obtida, entre 25 e 28 semanas de gestação, de 315 mulheres com parto prematuro espontâneo que participavam de um ensaio clínico prospectivo4, randomizado5, controlado com placebo6, avaliando o benefício de suplementação7 de ômega-3 na redução do nascimento prematuro. Todas as mulheres do estudo de referência receberam caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona; 434 receberam suplementação7 de ômega-3 e 418 receberam placebo6. O plasma8 de 315 mulheres que aceitaram participar da pesquisa complementar foi analisado para medir a concentração de caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona.

Os resultados mostraram que não houve diferenças entre os grupos que receberam placebo6 e ômega-3 em relação a variáveis demográficas, aos resultados ou na média de concentração do caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona. As concentrações plasmáticas de caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona variaram de 3,7 a 56 ng/ml. Mulheres com as concentrações plasmáticas de caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona no quartil mais baixo tiveram um risco significativamente maior de parto prematuro espontâneo (p = 0,03) e parto em idade gestacional significativamente mais precoce (p = 0,002) do que as mulheres do segundo ao quarto quartis. As menores taxas de prematuridade foram observadas quando a mediana de concentração do caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona excedia 6,4 ng/ml.

Concluiu-se que menores concentrações plasmáticas de caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona estão associadas a um risco aumentado de parto prematuro espontâneo. Este achado confirma a eficácia deste tratamento, mas sugere que estudos adicionais são necessários para determinar a dosagem ideal a ser usada para prevenção de partos prematuros.

Fonte: American Journal of Obstetrics & Gynecology, volume 210, número 2, de fevereiro de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Caproato de 17-alfa hidroxiprogesterona reduz risco de parto prematuro espontâneo em artigo do American Journal of Obstetrics & Gynecology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/524539/caproato-de-17-alfa-hidroxiprogesterona-reduz-risco-de-parto-prematuro-espontaneo-em-artigo-do-american-journal-of-obstetrics-amp-gynecology.htm>. Acesso em: 21 out. 2020.

Complementos

1 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
2 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
3 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
4 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
5 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
7 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
8 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
Gostou do artigo? Compartilhe!