Gostou do artigo? Compartilhe!

Risco para infarto do miocárdio e AVC após bacteremia adquirida na comunidade: um estudo populacional de coorte publicado no Circulation

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As infecções1 podem desencadear eventos cardiovasculares agudos, mas o risco desses eventos após uma bacteremia2 adquirida na comunidade é desconhecido. Com o objetivo de avaliar o risco de infarto3 agudo4 do miocárdio5 e de acidente vascular cerebral6 isquêmico7 em até um ano após uma bacteremia2 adquirida na comunidade foi realizado um estudo de coorte8, com seguimento de 20 anos, publicado pelo periódico Circulation.

A pesquisa de base populacional foi realizada no Departamento de Doenças Infecciosas do Aalborg University Hospital, no norte da Dinamarca. Foram incluídos 4.389 pacientes clínicos hospitalizados com hemoculturas positivas obtidas no dia da admissão. Os pacientes hospitalizados com bacteremia2 foram pareados com até 10 controles da população geral e até 5 controles admitidos de forma aguda mas sem bacteremia2, pareados em idade, sexo e tempo. Todos os eventos novos de infarto do miocárdio9 e acidente vascular cerebral6 durante os 365 dias seguintes foram apurados a partir de bases de dados de saúde10 com base na população. Análises de regressão multivariada foram utilizadas para avaliar os riscos relativos (RR) com intervalo de confiança de 95% (IC) para infarto do miocárdio9 e acidente vascular cerebral6 em pacientes com bacteremia2 e seus controles. O risco de infarto do miocárdio9 ou acidente vascular cerebral6 foi muito maior dentro dos primeiros 30 dias após o início da bacteremia2 adquirida na comunidade: 3,6% contra 0,2% entre os controles populacionais (RR ajustado, 20,86; IC 95%, 15,38-28,29) e contra 1,7% entre os controles hospitalizados (RR ajustado, 2,18; IC 95%, 1,80-2,65). O risco de infarto do miocárdio9 ou acidente vascular cerebral6 permaneceu com modesto aumento entre o 31° e o 180° dias após o início da bacteremia2 quando comparados aos controles populacionais, mas não aos controles hospitalizados. Não há diferenças observadas no risco cardiovascular depois de mais de seis meses da bacteremia2. Os maiores riscos nos primeiros 30 dias foram consistentemente encontrados para uma variedade de agentes etiológicos e focos infecciosos.

Os resultados mostram que uma bacteremia2 adquirida na comunidade está associada ao aumento do risco de curto prazo para infarto do miocárdio9 e para acidente vascular cerebral6.

Fonte: Circulation (da American Heart Association), publicação online de 12 de fevereiro de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. Risco para infarto do miocárdio e AVC após bacteremia adquirida na comunidade: um estudo populacional de coorte publicado no Circulation. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/523829/risco-para-infarto-do-miocardio-e-avc-apos-bacteremia-adquirida-na-comunidade-um-estudo-populacional-de-coorte-publicado-no-circulation.htm>. Acesso em: 18 jan. 2021.

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Bacteremia: Presença de bactérias no sangue, porém sem que as mesmas se multipliquem neste. Quando elas se multiplicam no sangue chamamos “septicemia”.
3 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
4 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
5 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
6 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
8 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
9 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!