Gostou do artigo? Compartilhe!

Endometriose: diagnóstico por detecção de fibras nervosas em biópsia endometrial mostra resultados promissores em estudo publicado na Human Reproduction

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O estudo duplo-cego1, publicado no periódico Human Reproduction, usou a detecção de fibras nervosas no endométrio2 de mulheres com endometriose3, através de biópsia4 endometrial e imunohistoquímica5, como teste diagnóstico6 alternativo para esta patologia7.

Os resultados mostraram que, em 64 mulheres com diagnóstico6 laparoscópico de endometriose3, a média de densidade de fibras nervosas na biópsia4 endometrial foi de 2,7 fibras nervosas por milímetro quadrado. Apenas uma mulher com endometriose3 não teve fibras nervosas detectáveis. Seis mulheres tiveram fibras nervosas detectadas, mas não tinham endometriose3 ativa vista na laparoscopia8. A especificidade ficou em 83% e a sensibilidade em 98%, o valor preditivo positivo foi de 91% e o valor preditivo negativo foi de 96%. A densidade das fibras nervosas não variou nas diferentes fases do ciclo menstrual. As mulheres com endometriose3 e sintomas9 de dor têm maior densidade de fibras nervosas em comparação com mulheres inférteis, mas sem dor.

Concluindo, a biópsia4 endometrial com detecção de fibras nervosas fornece uma possibilidade alternativa de diagnóstico6 para a endometriose3, com acurácia semelhante à laparoscopia8 diagnóstica realizada por laparoscopistas experientes.

Novos estudos são necessários para confirmar estes achados e o teste ainda não está aprovado pelo Food and Drug Administration (FDA).


Fonte: Human Reproduction

NEWS.MED.BR, 2009. Endometriose: diagnóstico por detecção de fibras nervosas em biópsia endometrial mostra resultados promissores em estudo publicado na Human Reproduction. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/40053/endometriose-diagnostico-por-deteccao-de-fibras-nervosas-em-biopsia-endometrial-mostra-resultados-promissores-em-estudo-publicado-na-human-reproduction.htm>. Acesso em: 17 out. 2019.

Complementos

1 Estudo duplo-cego: Denominamos um estudo clínico “duplo cego” quando tanto voluntários quanto pesquisadores desconhecem a qual grupo de tratamento do estudo os voluntários foram designados. Denominamos um estudo clínico de “simples cego” quando apenas os voluntários desconhecem o grupo ao qual pertencem no estudo.
2 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
3 Endometriose: Doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns da endometriose são: Fundo de Saco de Douglas (atrás do útero), septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto ), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga e parede da pélvis.
4 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
5 Imunohistoquímica: O termo imunohistoquímica surgiu das palavras “imunologia, histologia e química”. A imunologia estuda o sistema imunológico, a histologia estuda os tecidos e órgãos do corpo utilizando o microscópio, após a sua coloração. Para facilitar a observação, diversos tipos de colorações podem ser usadas para identificar diferentes partes de um tecido. O processo de identificar antígenos nos tecidos com anticorpos, através de secção corada, é definido como imunohistoquímica.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
8 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

04/09/2009 - Complemento feito por Liliana
Re: Endometriose: diagnóstico por detecção de fibras nervosas em biópsia endometrial mostra resultados promissores em estudo publicado na Human Reproduction
Muito legal! Até que enfim avançou-se um pouco em relação a esta doença que tem afetado muitas mulheres, inclusive eu, fiquei sabendo de caso de uma pessoa conhecida que teve o intestino perfurado ao fazer uma videolaparascopia e foi parar na UTI, fiz 2 (duas), estou feliz com a informação. Obrigada!

  • Entrar
  • Assinar