Gostou do artigo? Compartilhe!

A endometriose poderia ser controlada com injeções mensais de anticorpos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Injeções que bloqueiam uma proteína inflamatória reduziram pela metade o tamanho das lesões1 de endometriose2 em macacos. A injeção3 utiliza um anticorpo4 que alivia a inflamação5, revertendo parcialmente a endometriose2 quando administrada mensalmente.

Depois dos testes bem-sucedidos em macacos, o anticorpo4 agora está sendo testado em pessoas. O estudo foi publicado na revista Science Translational Medicine.

A endometriose2 ocorre quando o tecido6 do endométrio7 – o revestimento do útero8 – cresce em outras partes do corpo, geralmente dentro da pelve9. A condição afeta cerca de 1 em cada 10 mulheres em idade reprodutiva e pode causar dor intensa e infertilidade10.

Ayako Nishimoto-Kakiuchi, da Chugai Pharmaceutical, uma empresa no Japão, e seus colegas descobriram que o tecido6 da endometriose2 contém níveis elevados de um gene chamado IL8, que produz uma proteína inflamatória chamada interleucina-8 (IL-8). Isso os fez pensar se o bloqueio da IL-8 poderia reduzir a inflamação5 associada à endometriose2 e retardar ou mesmo reverter sua progressão.

Leia sobre "Endometriose2: quais as causas" e "Dor pélvica11".

Para descobrir, os pesquisadores desenvolveram um anticorpo4 chamado AMY109 que inibe a IL-8. Eles então induziram cirurgicamente a endometriose2 em um grupo de macacos, movendo o tecido6 de seu endométrio7 para outros locais dentro da pelve9, imitando as lesões1 de endometriose2 em pessoas.

Onze desses macacos receberam uma injeção3 de AMY109 e seis receberam um placebo12 a cada quatro semanas durante seis meses.

No final do estudo, as lesões1 de endometriose2 nas macacas tratadas com AMY109 diminuíram para cerca de metade do tamanho original, enquanto as do grupo placebo12 continuaram a crescer.

Para investigar a segurança do tratamento, os pesquisadores injetaram altas doses de AMY109 em macacos machos e fêmeas sem endometriose2. O AMY109 não teve impacto em uma série de medidas de saúde13, incluindo o peso e o consumo de alimentos dos animais, bem como a qualidade do esperma14 dos machos e os ciclos menstruais das fêmeas.

A Chugai Pharmaceutical está agora realizando um ensaio clínico de AMY109 em voluntárias humanas com e sem endometriose2 no Japão e em Taiwan para avaliar ainda mais sua segurança e investigar se ele reduz as lesões1 de endometriose2 em pessoas.

Isso será importante para determinar se há algum efeito colateral15 humano, diz Pav Nanayakkara, especialista em ginecologia e cirurgiã laparoscópica avançada na clínica Jean Hailes East Melbourne, na Austrália.

A endometriose2 é geralmente tratada com medicamentos supressores de hormônios que podem diminuir as lesões1, mas muitas vezes causam efeitos colaterais16 como dores de cabeça17 e alterações de humor. Eles também impedem a menstruação18, tornando-os inadequados para quem está tentando engravidar.

A cirurgia também pode remover as lesões1 de endometriose2, mas elas podem retornar.

“Os pesquisadores que estão desenvolvendo o AMY109 dão esperança ao objetivo de longo prazo de fornecer um tratamento não invasivo para ajudar a controlar os sintomas19 da endometriose”, diz Nanayakkara.

No artigo, os pesquisadores descrevem como um anticorpo4 anti-IL-8 de ação prolongada melhora a inflamação5 e a fibrose20 na endometriose2.

Eles contextualizam que os tratamentos farmacológicos atuais para a endometriose2 são limitados a agentes hormonais que podem aliviar a dor, mas não podem curar a doença. Portanto, o desenvolvimento de um medicamento modificador da doença para a endometriose2 é uma necessidade médica não atendida.

Ao estudar amostras de endometriose2 humana, descobriu-se que a progressão da endometriose2 estava associada ao desenvolvimento de inflamação5 e fibrose20. Além disso, a expressão de IL-8 foi altamente regulada em tecidos endometrióticos e intimamente correlacionada com a progressão da doença.

Criou-se um anticorpo4 de reciclagem de ação prolongada contra IL-8 (AMY109) e avaliou-se sua potência clínica. Como os roedores não produzem IL-8 e não apresentam menstruação18, analisou-se as lesões1 em macacos cynomolgus que desenvolveram endometriose2 espontaneamente e em um modelo de macaco com endometriose2 induzida cirurgicamente. As lesões1 endometrióticas desenvolvidas espontaneamente e induzidas cirurgicamente demonstraram fisiopatologia21 muito semelhante à da endometriose2 humana.

A injeção subcutânea22 mensal de AMY109 em macacas com endometriose2 induzida cirurgicamente reduziu o volume das lesões1 nodulares, baixou a pontuação revisada da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva modificada para macacas e melhorou a fibrose20 e as aderências.

Além disso, experimentos usando células23 derivadas de endometriose2 humana revelaram que o AMY109 inibiu o recrutamento de neutrófilos24 para lesões1 endometrióticas e a produção de proteína quimiotática de monócitos25-1 a partir de neutrófilos24.

Assim, o anticorpo4 AMY109 pode representar uma terapia modificadora da doença para pacientes26 com endometriose2.

Veja também sobre "Antígenos27 e anticorpos28 - o que são" e "O que é inflamação5".

 

Fontes:
Science Translational Medicine, Vol. 15, Nº 684, em 22 de fevereiro de 2023.
New Scientist, notícia publicada em 22 de fevereiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. A endometriose poderia ser controlada com injeções mensais de anticorpos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1434565/a-endometriose-poderia-ser-controlada-com-injecoes-mensais-de-anticorpos.htm>. Acesso em: 27 fev. 2024.

Complementos

1 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Endometriose: Doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e consiste na presença de endométrio em locais fora do útero. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns da endometriose são: Fundo de Saco de Douglas (atrás do útero), septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto ), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga e parede da pélvis.
3 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
4 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
7 Endométrio: Membrana mucosa que reveste a cavidade uterina (responsável hormonalmente) durante o CICLO MENSTRUAL e GRAVIDEZ. O endométrio sofre transformações cíclicas que caracterizam a MENSTRUAÇÃO. Após FERTILIZAÇÃO bem sucedida, serve para sustentar o desenvolvimento do embrião.
8 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
9 Pelve: 1. Cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ossos ilíacos), sacro e cóccix; bacia. 2. Qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
10 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
11 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
12 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
15 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
16 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
17 Cabeça:
18 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
21 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
22 Injeção subcutânea: Injetar fluido no tecido localizado abaixo da pele, o tecido celular subcutâneo, com uma agulha e seringa.
23 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
24 Neutrófilos: Leucócitos granulares que apresentam um núcleo composto de três a cinco lóbulos conectados por filamenos delgados de cromatina. O citoplasma contém grânulos finos e inconspícuos que coram-se com corantes neutros.
25 Monócitos: É um tipo de leucócito mononuclear fagocitário, que se forma na medula óssea e é posteriormente transportado para os tecidos, onde se desenvolve em macrófagos.
26 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
27 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
28 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!