Gostou do artigo? Compartilhe!

Dextrose em gel deve ser considerada tratamento de primeira linha para a hipoglicemia neonatal, em artigo publicado pelo The Lancet

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A hipoglicemia1 neonatal é comum e constitui uma causa evitável de dano cerebral. A dextrose2 em gel é usada para reverter a hipoglicemia1 em indivíduos com diabetes3, no entanto, existe pouca evidência para seu uso em bebês4. O objetivo do Sugar Babies Study foi avaliar se o tratamento com dextrose2 em gel era mais eficaz do que apenas a amamentação5 para reverter a hipoglicemia1 neonatal em bebês4 com risco de hipoglicemia1.

Foi realizado um estudo randomizado6, duplo-cego, controlado com placebo7 em um centro terciário na Nova Zelândia, entre 01 de dezembro de 2008 e 31 de novembro de 2010. Os bebês4 com idades entre 35 e 42 semanas de gestação, com menos de 48 horas de vida e em risco para hipoglicemia1 foram distribuídos aleatoriamente (1:1) para receber dextrose2 em gel a 40% na dose de 200 mg/kg ou gel de placebo7. A aleatorização foi estratificada com base na diabetes3 materna e no peso do bebê ao nascer. O desfecho primário foi a falha do tratamento, definida como uma concentração de glicose8 no sangue9 de menos do que 2,6 mmol/L10 (ou 36 mg/dl11) após duas tentativas de tratamento.

De 514 bebês4 inscritos, 242 (47%) ficaram com hipoglicemia1 e foram randomizados. Cinco bebês4 foram aleatorizados com erro, deixando 237 para análise: 118 (50%) no grupo da dextrose2 e 119 (50%) no grupo do placebo7. A dextrose2 em gel reduziu a frequência de falha de tratamento, em comparação com o placebo7. Não foram observados eventos adversos graves.

O tratamento com gel de dextrose2 é barato e fácil de administrar. A dextrose2 em gel deve ser considerada como tratamento de primeira linha no manejo da hipoglicemia1 em recém-nascidos prematuros e a termo nas primeiras 48 horas após o nascimento.

Fonte: The Lancet, publicação online, de 25 de setembro de 2013 

NEWS.MED.BR, 2013. Dextrose em gel deve ser considerada tratamento de primeira linha para a hipoglicemia neonatal, em artigo publicado pelo The Lancet. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/383084/dextrose-em-gel-deve-ser-considerada-tratamento-de-primeira-linha-para-a-hipoglicemia-neonatal-em-artigo-publicado-pelo-the-lancet.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Hipoglicemia: Condição que ocorre quando há uma queda excessiva nos níveis de glicose, freqüentemente abaixo de 70 mg/dL, com aparecimento rápido de sintomas. Os sinais de hipoglicemia são: fome, fadiga, tremores, tontura, taquicardia, sudorese, palidez, pele fria e úmida, visão turva e confusão mental. Se não for tratada, pode levar ao coma. É tratada com o consumo de alimentos ricos em carboidratos como pastilhas ou sucos com glicose. Pode também ser tratada com uma injeção de glucagon caso a pessoa esteja inconsciente ou incapaz de engolir. Também chamada de reação à insulina.
2 Dextrose: Também chamada de glicose. Açúcar encontrado no sangue que serve como principal fonte de energia do organismo.
3 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
4 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
5 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
6 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Mmol/L: Milimols por litro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
11 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
Gostou do artigo? Compartilhe!