Atalho: 6X291JT
Gostou do artigo? Compartilhe!

Maior ingestão de fibra alimentar reduz risco do primeiro episódio de acidente vascular cerebral, segundo revisão publicada pelo periódico Stroke

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma revisão sistemática e meta-análise de estudos sobre a ingestão de fibras e sua associação com o risco reduzido de acidente vascular cerebral1 (AVC) foi publicada no periódico Stroke. Os resultados mostraram que a maior ingestão de fibras está significativamente associada a um menor risco de acidente vascular cerebral1.

Vários bancos de dados eletrônicos foram pesquisados e oito estudos de coorte2, publicados entre janeiro de 1990 e maio de 2012, foram incluídos na análise. Dados sobre a ingestão de fibras em participantes saudáveis e a incidência3 de um primeiro evento de acidente vascular cerebral1 hemorrágico4 ou isquêmico5 foram analisados.

A maior ingestão de fibra alimentar está significativamente associada a um menor risco de acidente vascular cerebral1. Cada aumento de sete gramas de fibra por dia reduz o risco de um primeiro acidente vascular cerebral1 em cerca de 7%. No geral, os resultados reforçam as recomendações dietéticas para aumentar a ingestão de fibra alimentar total. No entanto, uma escassez de dados sobre os diferentes alimentos que contêm fibras impede conclusões a respeito da associação entre o tipo de fibra ingerida e o risco de acidente vascular cerebral1. Há uma necessidade de estudos futuros para se concentrar no tipo de fibra e para examinar o risco para AVC isquêmico5 e hemorrágico4 separadamente.

Fonte: Stroke, publicação online de 28 de março de 2013

NEWS.MED.BR, 2013. Maior ingestão de fibra alimentar reduz risco do primeiro episódio de acidente vascular cerebral, segundo revisão publicada pelo periódico Stroke. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/346529/maior-ingestao-de-fibra-alimentar-reduz-risco-do-primeiro-episodio-de-acidente-vascular-cerebral-segundo-revisao-publicada-pelo-periodico-stroke.htm>. Acesso em: 30 mai. 2020.

Complementos

1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Estudos de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
3 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
4 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
5 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
Gostou do artigo? Compartilhe!