Gostou do artigo? Compartilhe!

The Journal of Physiology: cientistas aceleram desenvolvimento pulmonar de ratos em laboratório. Esta descoberta pode ajudar bebês prematuros

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Cientistas da Universidade de Cardiff, no País de Gales, identificaram um potencial alvo para ajudar o desenvolvimento dos pulmões1 de bebês2 ainda dentro do útero3. Eles conseguiram  manipular o desenvolvimento pulmonar de fetos de ratos interrompendo o funcionamento do receptor de cálcio, uma molécula conhecida que tem um papel fundamental no desenvolvimento pulmonar dos fetos, já que este receptor pode "acionar" o crescimento dos pulmões1 dentro do útero3.

Segundo Paul Kemp, coordenador da pesquisa, os resultados são promissores pois já existem medicamentos capazes de alterar a função deste receptor, o que agiliza a liberação do uso desses medicamentos em bebês2, caso seja comprovada sua ação em ajudar a amadurecer os órgãos de bebês2 prematuros enquanto eles crescem.

A nova terapia poderia ser aplicada paralelamente ao uso de esteróides, que é o tratamento tradicional para gestantes  com risco de ter um bebê com nascimento prematuro.

O próximo passo, segundo os cientistas, é realizar estudos em indivíduos que possuem mutações em seu receptor de cálcio, o que faz com que ele esteja permanentemente "ligado" ou "desligado". Caso seja comprovada uma correlação entre a mutação4 e a saúde5 pulmonar após o nascimento, poderão ser iniciados testes clínicos em humanos.


Fonte: The Journal of Physiology

NEWS.MED.BR, 2008. The Journal of Physiology: cientistas aceleram desenvolvimento pulmonar de ratos em laboratório. Esta descoberta pode ajudar bebês prematuros. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/27635/the-journal-of-physiology-cientistas-aceleram-desenvolvimento-pulmonar-de-ratos-em-laboratorio-esta-descoberta-pode-ajudar-bebes-prematuros.htm>. Acesso em: 26 fev. 2020.

Complementos

1 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
2 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
4 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!