Gostou do artigo? Compartilhe!

Physicians's Health Study II: vitaminas C e E não previnem doenças cardiovasculares em homens, segundo pesquisa divulgada no JAMA

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Com o objetivo de avaliar o papel da suplementação1 das vitaminas C e E, a longo prazo, na redução do risco de eventos cardiovasculares maiores entre homens, foi realizado um estudo com médicos de meia idade e idosos. Os resultados mostraram que essas vitaminas não ajudaram na prevenção de doenças cardiovasculares2.

Artigo publicado na revista The Journal of the American Medical Association (JAMA) sobre o estudo dupo-cego, randomizado3, controlado com placebo4, conhecido como The Physicians' Health Study II, teve a participação de 14.641 médicos americanos, com idade inicial de 50 anos ou mais, incluindo 754 homens (5,1%) com prevalência5 de doença cardiovascular no início do estudo.

Os participantes receberam suplementos com 400 UI de vitamina6 E em dias alternados e 500 mg de vitamina6 C diariamente ou placebo4. Durante o seguimento de cerca de dez anos, observou-se que com oito anos de acompanhamento foram confirmados 1245 eventos cardiovasculares. Os cientistas registraram 511 infartos do miocárdio7, 464 ataques cerebrais e 509 falecimentos ocorridos devido a causas cardíacas.

Comparadas ao placebo4, tanto a vitamina6 C quanto a vitamina6 E não mostraram efeitos sobre eventos ou mortalidade8 cardiovascular. O uso de suplementação1 com vitamina6 E foi associado ao aumento de acidentes vasculares9 hemorrágicos10.

Nesta pesquisa, a suplementação1 de vitaminas C e E não mostrou uma redução maior dos eventos cardiovasculares nos médicos participantes, não fornecendo suporte para seu uso na prevenção dessas doenças em homens de meia idade e idosos.

Fonte: JAMA de 9 de novembro de 2008

NEWS.MED.BR, 2008. Physicians's Health Study II: vitaminas C e E não previnem doenças cardiovasculares em homens, segundo pesquisa divulgada no JAMA. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/26200/physicians-s-health-study-ii-vitaminas-c-e-e-nao-previnem-doencas-cardiovasculares-em-homens-segundo-pesquisa-divulgada-no-jama.htm>. Acesso em: 7 mar. 2021.

Complementos

1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
8 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
9 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
10 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
Gostou do artigo? Compartilhe!