Atalho: 5VCGN8G
Gostou do artigo? Compartilhe!

Cigarro nos primeiros meses de gravidez está associado a defeitos cardíacos congênitos em 20 a 70% dos bebês, segundo informações do CDC

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Grávidas que fumam no primeiro trimestre da gestação podem ter bebês1 com defeitos cardíacos congênitos2 em 20 a 70% dos casos, de acordo com um estudo do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Os defeitos cardíacos congênitos2 são o tipo mais comum de alterações congênitas3, contribuindo para aproximadamente 30% das mortes infantis por defeitos ao nascimento anualmente.

O estudo encontrou uma associação entre a exposição ao cigarro e certos tipos de defeitos como aqueles que prejudicam o fluxo sanguíneo do lado direito do coração4 para os pulmões5 e defeitos nos septos atriais. O estudo foi publicado no periódico Pediatrics de 28 de fevereiro de 2011.

Segundo o diretor do CDC, Thomas R. Frieden, mulheres que pretendem engravidar ou que já estão grávidas devem parar de fumar, pois isto é a coisa mais importante que uma mulher pode fazer para melhorar a sua saúde6 e a saúde6 de seu bebê.

Segundo os resultados deste estudo, parar de fumar antes ou logo no início da gestação, pode evitar mais de 100 casos de obstruções do trato de saída do ventrículo direito e cerca de 700 casos de defeitos do septo atrial por ano nos Estados Unidos.

Parar de fumar também evita parto prematuro e baixo peso do bebê ao nascer.

Fontes: CDC

Pediatrics

NEWS.MED.BR, 2011. Cigarro nos primeiros meses de gravidez está associado a defeitos cardíacos congênitos em 20 a 70% dos bebês, segundo informações do CDC. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/176822/cigarro-nos-primeiros-meses-de-gravidez-esta-associado-a-defeitos-cardiacos-congenitos-em-20-a-70-dos-bebes-segundo-informacoes-do-cdc.htm>. Acesso em: 24 jan. 2020.

Complementos

1 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
2 Congênitos: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
3 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
4 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
5 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!