Gostou do artigo? Compartilhe!

Pradaxa: novo anticoagulante oral é aprovado pela Agência Européia de Medicamentos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A Agência Européia de Medicamentos (EMEA) autorizou a divulgação e a comercialização de um novo anticoagulante1 oral, que age inibindo diretamente a trombina2 de forma específica e reversível: o etexilato de dabigatrana (Pradaxa).

A opinião positiva do EMEA é muito bem-vinda por se tratar da primeira recomendação de aprovação do etexilato de dabigatrana pelas autoridades regulatórias. O etexilato de dabigatrana, fabricado exclusivamente pelo laboratório Boehringer Ingelheim, age na prevenção do tromboembolismo3 venoso e está indicado para pacientes4 que farão cirurgias eletivas5 para substituição total de quadril ou de joelho. Possui um perfil de segurança semelhante ao da enoxaparina injetável, porém pode ser utilizado por via oral.

A administração do medicamento por via oral, uma vez ao dia, pode ser feita fora do ambiente hospitalar, protegendo  os pacientes do risco potencial de desenvolvimento de coágulos e reduzindo significativamente os riscos adicionais associados a uma hospitalização prolongada.

Bengt Eriksson, principal pesquisador dos estudos RE-NOVATETM e RE-MODELTM  e integrante do Departamento de Cirurgia Ortopédica da University Hospital Sahlgrenska/Östra, na Suécia, relata que o risco de uma trombose6 fatal após uma cirurgia ortopédica é preocupante, o que exige o uso de um anticoagulante1 oral que possa ser administrado tanto no hospital, quanto em um cenário ambulatorial para prevenir o tromboembolismo3 venoso. A aprovação do etexilato de dabigatrana representa uma alternativa promissora nesta área.

Fonte: EMEA – European Medicines Agency

NEWS.MED.BR, 2008. Pradaxa: novo anticoagulante oral é aprovado pela Agência Européia de Medicamentos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/15880/pradaxa-novo-anticoagulante-oral-e-aprovado-pela-agencia-europeia-de-medicamentos.htm>. Acesso em: 14 out. 2019.

Complementos

1 Anticoagulante: Substância ou medicamento que evita a coagulação, especialmente do sangue.
2 Trombina: Enzima presente no plasma. Ela catalisa a conversão do fibrinogênio em fibrina, participando do processo de coagulação sanguínea.
3 Tromboembolismo: Doença produzida pela impactação de um fragmento de um trombo. É produzida quando este se desprende de seu lugar de origem, e é levado pela corrente sangüínea até produzir a oclusão de uma artéria distante do local de origem do trombo. Esta oclusão pode ter diversas conseqüências, desde leves até fatais, dependendo do tamanho do vaso ocluído e do tipo de circulação do órgão onde se deu a oclusão.
4 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
5 Eletivas: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
6 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
Gostou do artigo? Compartilhe!