Gostou do artigo? Compartilhe!

Cientistas acabaram de descobrir uma nova parte do sistema de eliminação de resíduos do cérebro

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Foi descoberta uma nova estrutura anatômica que faz parte do sistema de eliminação de resíduos do cérebro1.

O tecido2 é uma membrana fina envolvendo o cérebro1 que mantém o líquido cefalorraquidiano3 recém-produzido – que circula dentro do cérebro1 – separado do fluido “sujo” que contém os resíduos das células4.

A fina camada de tecido2 foi chamada de membrana subaracnoidea tipo linfática, ou SLYM (do inglês subarachnoid lymphatic-like membrane). As descobertas foram publicadas na revista Science.

Leia sobre "Neurociência - o que ela estuda" e "Neuroplasticidade cerebral".

Já se sabia que existem três membranas entre o crânio5 e o cérebro1. A nova estrutura é uma quarta membrana, situada no topo da membrana mais interna. Ela é extremamente fina, com uma largura de apenas algumas células4 ou, em alguns lugares, até mesmo uma célula6.

A SLYM não havia sido notada antes, em parte porque a membrana se desintegra quando o cérebro1 é removido do crânio5 em autópsias, diz Maiken Nedergaard, do Centro Médico da Universidade de Rochester, em Nova York, que ajudou a descobrir a estrutura. Também é muito fina para ser vista em pessoas vivas por meio de máquinas de escaneamento cerebral.

O tecido2 foi descoberto pela primeira vez em camundongos, depois que a equipe de Nedergaard usou uma técnica de rotulagem genética que fazia as células4 da SLYM brilharem em verde fluorescente. O tecido2 também foi observado cobrindo cérebros humanos ao dissolver o crânio5 em corpos doados para pesquisa.

Em 2012, Nedergaard também ajudou a descobrir uma rede de tubos finos que coletam o fluido residual das células4 cerebrais, conhecido como sistema glinfático. Esses tubos podem drenar para o líquido cefalorraquidiano3 de saída, diz Nedergaard.

Os produtos residuais das células4 cerebrais incluem proteínas7 chamadas beta-amiloide e tau, que se acredita estarem envolvidas na doença de Alzheimer8 quando se acumulam em quantidades excessivas.

Tanto em camundongos quanto em pessoas, a SLYM também contém células4 imunes, por isso pode permitir detectar sinais9 de infecção10 presentes no líquido cefalorraquidiano3, diz Nedergaard. “Ela é carregada com células4 imunológicas.”

“Esta é uma descoberta fascinante que terá implicações significativas para nossa compreensão do sistema glinfático”, diz Marios Politis da Universidade de Exeter, Reino Unido.

No artigo, os pesquisadores relatam que o sistema nervoso central11 é revestido por meninges12, classicamente conhecidas como dura-máter13, aracnoide14 e pia-máter. Mostrou-se a existência de uma quarta camada meníngea15 que compartimenta o espaço subaracnoideo no cérebro1 de camundongos e humanos, denominada membrana subaracnoide tipo linfática (SLYM).

A SLYM é morfo e imunofenotipicamente semelhante ao revestimento da membrana mesotelial de órgãos periféricos e cavidades do corpo, e envolve vasos sanguíneos16 e abriga células4 imunes.

Funcionalmente, a estreita aposição da SLYM com o revestimento endotelial do seio17 venoso meníngeo permite a troca direta de pequenos solutos entre o líquido cefalorraquidiano3 e o sangue18 venoso, representando assim o equivalente em camundongo das granulações aracnoides.

A caracterização funcional da SLYM fornece informações fundamentais sobre as barreiras imunológicas cerebrais e o transporte de fluidos.

Veja também sobre "Envelhecimento cerebral" e "Líquor19 - o que pode revelar sua análise?"

 

Fontes:
Science, Vol. 379, Nº 6627, em 05 de janeiro de 2023.
New Scientist, notícia publicada em 05 de janeiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Cientistas acabaram de descobrir uma nova parte do sistema de eliminação de resíduos do cérebro. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1432025/cientistas-acabaram-de-descobrir-uma-nova-parte-do-sistema-de-eliminacao-de-residuos-do-cerebro.htm>. Acesso em: 6 fev. 2023.

Complementos

1 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Líquido cefalorraquidiano: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
6 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
7 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
8 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
12 Meninges: Conjunto de membranas que envolvem o sistema nervoso central. Cumprem funções de proteção, isolamento e nutrição. São três e denominam-se dura-máter, pia-máter e aracnóide.
13 Dura-Máter: A mais externa das três MENINGES, uma membrana fibrosa de tecido conjuntivo que cobre o encéfalo e cordão espinhal.
14 Aracnóide: Membrana delicada que envolve o encéfalo e o cordão espinhal. Fica entre a PIA-MÁTER e a DURA-MÁTER. É separada da pia-máter pela cavidade subaracnóidea, preenchida com LÍQUIDO CEFALORRAQUIDIANO.
15 Meníngea: Relativa ou própria da meninge.
16 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
17 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
18 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
19 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
Gostou do artigo? Compartilhe!