Gostou do artigo? Compartilhe!

Praticantes de exercícios matinais tendem a ter menor risco de doença cardiovascular do que aqueles que se exercitam no meio do dia

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um novo estudo, publicado no European Journal of Preventive Cardiology, avaliou as associações entre o momento da atividade física objetiva e o risco de doença cardiovascular na população em geral.

Pouco se sabe sobre o impacto do momento em que a atividade física diária é realizada (aqui referido como “cronoatividade”) no risco de doença cardiovascular (DCV). O objetivo, portanto, foi examinar as associações entre cronoatividade e múltiplos resultados de DCV no UK Biobank.

Os dados de atividade física foram coletados no UK Biobank por meio de acelerômetro triaxial durante um período de medição de 7 dias. Foi usado agrupamento K-means para criar grupos de participantes com cronoatividade semelhante, independentemente da intensidade média diária da atividade física.

Modelos de risco proporcional de Cox ajustados por multivariáveis foram usados para estimar taxas de risco (HRs) comparando os diferentes grupos ajustados para idade e sexo (modelo 1) e para fatores de risco cardiovascular na linha de base (modelo 2). Análises estratificadas adicionais foram feitas por sexo, nível médio de atividade e cronotipo de sono autorrelatado.

Foram incluídos 86.657 indivíduos (58% mulheres, idade média: 61,6 [DP: 7,8] anos, IMC1 médio: 26,6 [4,5] kg/m²). Durante um período de acompanhamento de 6 anos, foram relatados 3.707 eventos de DCV incidente2.

No geral, os participantes com tendência de atividade física na parte da manhã (8h às 11h) tiveram um risco menor de doença arterial coronariana (HR: 0,84, IC 95%: 0,77, 0,92) e acidente vascular cerebral3 (HR: 0,83, IC 95%: 0,70, 0,98) incidentes4 em comparação com participantes com um padrão de atividade física no meio do dia.

Esses efeitos foram mais pronunciados em mulheres (valor de P para interação = 0,001). Não foram encontradas evidências que favoreçam a modificação do efeito por nível de atividade total e cronotipo do sono.

O estudo concluiu que, independentemente da atividade física total, a atividade física matinal foi associada a menores riscos de doenças cardiovasculares5 incidentes4, destacando a importância potencial da cronoatividade na prevenção de doenças cardiovasculares5.

Leia sobre "Doenças cardiovasculares5", "Atividade física" e "Musculação para idosos".

 

Fonte: European Journal of Preventive Cardiology, publicação em 14 de novembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Praticantes de exercícios matinais tendem a ter menor risco de doença cardiovascular do que aqueles que se exercitam no meio do dia. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1429760/praticantes-de-exercicios-matinais-tendem-a-ter-menor-risco-de-doenca-cardiovascular-do-que-aqueles-que-se-exercitam-no-meio-do-dia.htm>. Acesso em: 31 mai. 2023.

Complementos

1 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
2 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!