Gostou do artigo? Compartilhe!

Metade dos jovens do mundo estão em risco de perda auditiva

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Até 1,35 bilhão de jovens em todo o mundo correm o risco de perda auditiva devido à “escuta insegura”, mostrou um novo estudo.

O estudo descobriu que até 1 em cada 4 pessoas com idades entre 12 e 34 anos estão expostas a níveis de ruído perigosos por meio de “dispositivos de escuta pessoal”, como configurações de alto volume em smartphones utilizando fones de ouvido, e quase metade das pessoas nessas idades experimentam níveis de ruído prejudiciais em locais de entretenimento.

“Até onde sabemos, esta revisão é o primeiro artigo publicado a estimar a prevalência1 de exposição a práticas auditivas inseguras em adolescentes e jovens adultos e sua carga global”, escreveram os autores. “Essas estimativas são necessárias para comunicar a urgência2 de priorizar a prevenção da perda auditiva para governos, indústrias e outras partes interessadas responsáveis pela implementação de políticas”.

Leia sobre "Deficiência auditiva", "Surdez" e "Protetores auditivos - quando usar".

Publicado no BMJ Global Health, o estudo teve como objetivo determinar a prevalência1 de práticas auditivas inseguras decorrentes da exposição a dispositivos de escuta pessoal (DEPs) e locais de entretenimento barulhentos em indivíduos de 12 a 34 anos e estimar o número de jovens que poderiam correm o risco de perda auditiva por audição insegura em todo o mundo.

A escuta insegura foi definida no estudo como exposição a mais de 80 decibéis por pelo menos 40 horas por semana. (Para contextualizar, o tráfego da cidade é de cerca de 80 decibéis, de acordo com uma lista de sons que podem causar perda auditiva do CDC, dos Estados Unidos.)

Os pesquisadores conduziram uma revisão sistemática e metanálise para estimar a prevalência1 de práticas auditivas inseguras em DEPs e em locais de entretenimento barulhentos. Pesquisou-se três bancos de dados em busca de artigos revisados por pares publicados entre 2000 e 2021 que relataram práticas auditivas inseguras em indivíduos de 12 a 34 anos.

As estimativas de prevalência1 agrupadas (IC 95%) das populações expostas foram calculadas usando modelos de efeitos aleatórios ou verificadas a partir da revisão sistemática. O número de jovens que podem estar em risco de perda auditiva em todo o mundo foi estimado a partir da população global estimada de 12 a 34 anos, e as melhores estimativas de exposição à audição insegura foram determinadas a partir desta revisão.

Trinta e três estudos (correspondentes a dados de 35 registros e 19.046 indivíduos) foram incluídos; 17 e 18 registros focaram no uso de DEP e locais de entretenimento barulhentos, respectivamente.

A estimativa de prevalência1 agrupada de exposição à escuta insegura em DEPs foi de 23,81% (IC 95%, 18,99% a 29,42%). Houve certeza limitada (p >0,50) na estimativa de prevalência1 agrupada para locais de entretenimento barulhentos. Assim, ajustou-se um modelo em função dos limiares de intensidade e duração da exposição para identificar a prevalência1 estimada em 48,20%.

O número global estimado de jovens que podem estar em risco de perda auditiva devido à exposição a práticas auditivas inseguras variou de 0,67 a 1,35 bilhão.

O estudo concluiu que práticas auditivas inseguras são altamente prevalentes em todo o mundo e podem colocar mais de 1 bilhão de jovens em risco de perda auditiva. Há uma necessidade urgente de priorizar políticas focadas na escuta segura. A Organização Mundial da Saúde3 fornece materiais abrangentes para auxiliar no desenvolvimento e implementação de políticas.

Veja também sobre "Audiometria4" e "Remédios que podem levar à perda auditiva".

 

Fontes:
BMJ Global Healht, publicação em 15 de novembro de 2022.
Medscape, notícia publicada em 16 de novembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Metade dos jovens do mundo estão em risco de perda auditiva. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1429485/metade-dos-jovens-do-mundo-estao-em-risco-de-perda-auditiva.htm>. Acesso em: 5 fev. 2023.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Audiometria: Método utilizado para estudar a capacidade e acuidade auditivas perante diferentes freqüências sonoras.
Gostou do artigo? Compartilhe!