Gostou do artigo? Compartilhe!

Ataque isquêmico transitório ou AVC isquêmico menor aumentam risco de incapacidade em 5 anos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pacientes que tiveram um ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 menor têm um risco aumentado de eventos cardiovasculares nos 5 anos seguintes.

O objetivo deste estudo, publicado no The Lancet Neurology, foi avaliar os resultados funcionais de 5 anos em pacientes com ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 isquêmico1 menor e determinar os fatores associados à incapacidade a longo prazo.

Foram analisados dados de pacientes no TIAregistry.org, um registro internacional, prospectivo3 e observacional de pacientes com ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 isquêmico1 menor de 61 centros especializados em 21 países.

Pacientes com 18 anos ou mais que tiveram um ataque isquêmico1 transitório ou um acidente vascular cerebral2 menor dentro dos últimos 7 dias entre 30 de maio de 2009 e 30 de dezembro de 2011, com uma pontuação inicial da escala de Rankin modificada (ERm) de 0-1, e que foram acompanhados por 5 anos, foram elegíveis para inclusão neste estudo.

Avaliou-se se as comorbidades4 existentes e a recorrência5 de AVC, categorizado como incapacitante (pontuação da ERm >1, incluindo morte) ou não incapacitante (pontuação da ERm de 0-1), 5 anos após a linha de base, estavam associadas a um resultado funcional ruim (definido como uma pontuação da ERm >1).

Foram usados modelos de equações generalizadas multivariáveis para fatores associados com mau resultado funcional em 5 anos e modelos de regressão de risco de Cox multivariáveis para causas específicas em caso de recorrência5 de AVC.

Saiba mais sobre "Doenças cerebrovasculares" e "Isquemia6 cerebral transitória".

Entre 30 de maio de 2009 e 30 de dezembro de 2011, 3.847 pacientes elegíveis foram incluídos no estudo, 3.105 (80,7%) dos quais tiveram uma avaliação da ERm em 5 anos de acompanhamento. A duração mediana do acompanhamento foi de 5,00 anos (IQR 4,78-5,00).

710 (22,9%) de 3.105 pacientes tiveram uma pontuação da ERm maior que 1 em 5 anos. Os fatores associados ao mau resultado funcional aos 5 anos foram:

  • idade avançada (por aumento de 10 anos, odds ratio [OR] 2,18, IC 95% 1,93-2,46; p <0,0001);
  • diabetes7 de qualquer tipo (1,45, 1,18-1,78; p = 0,0001);
  • histórico de acidente vascular cerebral2 ou ataque isquêmico1 transitório antes do evento classificatório (1,74, 1,37-2,22; p <0,0001);
  • hipertensão8 (1,38, 1,00-1,92; p = 0,050);
  • fibrilação ou flutter atrial (1,52, 1,04-1,94; p = 0,030);
  • insuficiência cardíaca congestiva9 (1,73, 1,22-2,46; p = 0,0024);
  • doença valvar (2,47, 1,70-3,58; p <0,0001);
  • acidente vascular cerebral2 como evento de qualificação (1,31, 1,09-1,57; p = 0,0037);
  • história de doença arterial periférica (1,98, 1,28-3,07; p = 0,0023);
  • história de doença arterial coronariana (1,32, 1,00-1,74; p = 0,049);
  • hemorragia10 intracraniana durante o acompanhamento (4,94, 1,91-12,78; p = 0,0013);
  • e morar sozinho (1,32, 1,10-1,59; p = 0,0031).

A atividade física regular antes do evento índice foi associada à redução do risco de mau resultado funcional (OR 0,52, IC 95% 0,42-0,66; p <0,0001).

345 AVCs recorrentes ocorreram em 5 anos de acompanhamento, 141 (40,9%) dos quais foram incapacitantes ou fatais. A recorrência5 do AVC aumentou o risco de incapacidade em 5 anos (OR 3,52, IC 95% 2,37-5,22; p <0,0001).

Acidentes vasculares11 cerebrais recorrentes incapacitantes ou fatais foram independentemente associados com:

  • idade avançada (por aumento de 10 anos, taxa de risco [HR] 1,61, IC 95% 1,35-1,92; p <0,0001);
  • diabetes7 de qualquer tipo (2,23, 1,56-3,17; p <0,0001);
  • pontuação na Escala de AVC do National Institutes of Health maior que 5 na alta (5,11, 2,15-12,13; p = 0,0013);
  • história de doença arterial coronariana (1,76, 1,17-2,65; p = 0,0063);
  • história de acidente vascular cerebral2 ou ataque isquêmico1 transitório antes do evento de qualificação (1,54, 1,03-2,29; p = 0,035);
  • insuficiência cardíaca congestiva9 (1,86, 1,01-3,47; p = 0,044);
  • acidente vascular cerebral2 como evento de qualificação (1,73, 1,22-2,45; p = 0,0024);
  • pontuação da ERm maior que 1 na alta (2,48, 1,27-4,87; p = 0,0083);
  • e hemorragia10 intracraniana durante o acompanhamento (17,15, 9,95-27,43; p <0,0001).

Atividade física regular antes do evento índice foi associada com risco reduzido de AVC incapacitante recorrente em 5 anos (HR 0,56, IC 95% 0,31-0,99; p = 0,046) e de incapacidade em 5 anos sem AVC recorrente (0,61, 0,47-0,79; p = 0,0001).

Encontrou-se uma carga substancial de incapacidade (pontuação da ERm >1) em 5 anos após ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 isquêmico1 menor, e a maioria dos preditores dessa incapacidade foram fatores de risco modificáveis.

Os pacientes que fizeram exercício físico regular antes do evento índice tiveram um risco significativamente reduzido de incapacidade em 5 anos em comparação com os pacientes que não fizeram exercício.

Leia sobre "Doenças cardiovasculares12", "Acidente Vascular Cerebral2 - o que é" e "Atividade física - um hábito adquirido com prazer".

 

Fonte: The Lancet Neurology, Vol. 21, Nº 10, em outubro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Ataque isquêmico transitório ou AVC isquêmico menor aumentam risco de incapacidade em 5 anos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1426010/ataque-isquemico-transitorio-ou-avc-isquemico-menor-aumentam-risco-de-incapacidade-em-5-anos.htm>. Acesso em: 1 dez. 2022.

Complementos

1 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
2 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
5 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
6 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
7 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
8 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
9 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
10 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
11 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!