Gostou do artigo? Compartilhe!

Níveis muito altos de colesterol HDL foram associados à morte precoce em pessoas com doença arterial coronariana

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudos anteriores mostraram menor risco cardiovascular com níveis mais altos de colesterol1 de lipoproteína de alta densidade (HDL2-C). No entanto, dados recentes na população em geral mostraram aumento do risco de resultados adversos em concentrações muito altas de HDL2-C.

O objetivo deste estudo, publicado pelo JAMA Cardiology, foi estudar a associação entre níveis muito elevados de colesterol1 HDL2 (>80 mg/dL3) e mortalidade4 em pacientes com doença arterial coronariana (DAC) e investigar a associação de genótipos conhecidos de HDL2-C com desfechos de níveis elevados de HDL2-C.

Leia sobre "Entendendo o colesterol1 do organismo" e "Colesterol1 HDL2".

Este estudo de coorte5 prospectivo6, multicêntrico, realizado de 2006 até o presente no Reino Unido e de 2003 até o presente em Atlanta, Geórgia, EUA, recrutou pacientes com DAC do UK Biobank (UKB) e do Emory Cardiovascular Biobank (EmCAB), respectivamente.

Pacientes sem DAC confirmada foram excluídos do estudo. As análises de dados foram realizadas de 10 de maio de 2020 a 28 de abril de 2021.

A exposição do estudo foi níveis elevados de HDL2-C (>80 mg/dL3). O desfecho primário foi morte por todas as causas. O desfecho secundário foi morte cardiovascular.

Um total de 14.478 participantes (idade média [DP], 62,1 [5,8] anos; 11.034 homens [76,2%]) do UKB e 5.467 participantes (idade média [DP], 63,8 [12,3] anos; 3.632 homens [66,4] %]) do EmCAB foram incluídos no estudo.

Ao longo de um acompanhamento médio de 8,9 (IQR, 8,0-9,7) anos no UKB e 6,7 (IQR, 4,0-10,8) anos no EmCAB, uma associação em forma de U com os desfechos foi observada, com maior risco naqueles tanto com níveis baixos quanto níveis muito altos de HDL2-C em comparação com aqueles com valores médios.

Níveis muito altos de HDL2-C (>80 mg/dL3) foram associados com risco aumentado de morte por todas as causas (razão de risco [HR], 1,96; IC 95%, 1,42-2,71; P <0,001) e morte cardiovascular (HR, 1,71; IC 95%, 1,09-2,68; P = 0,02) em comparação com aqueles com níveis de HDL2-C na faixa de 40 a 60 mg/dL3 no UKB após ajuste para fatores de confusão.

Esses resultados foram replicados no EmCAB. Essas associações persistiram após o ajuste para o escore de risco genético de HDL2-C no UKB.

Análises de sensibilidade demonstraram que o risco de mortalidade4 por todas as causas no grupo de HDL2-C muito alto foi maior entre homens do que mulheres no UKB (HR, 2,63; IC 95%, 1,75-3,95; P <0,001 vs HR, 1,39; IC 95%, 0,82-2,35; P = 0,23).

Os resultados deste estudo de coorte5 mostraram que indivíduos com níveis de HDL2 superiores a 80 mg/dL3 tiveram um risco 96% maior de mortalidade4 por todas as causas e um risco 71% maior de mortalidade4 cardiovascular após ajuste para covariáveis, em comparação com aqueles com níveis de HDL2 na faixa de 40 a 60 mg/dL3.

Estes achados sugerem que níveis muito elevados de colesterol1 HDL2 estão paradoxalmente associados a maior risco de mortalidade4 em indivíduos com doença arterial coronariana. Essa associação foi independente dos polimorfismos comuns associados a níveis elevados de HDL2-C.

Veja também sobre "Doenças cardiovasculares7", "Doença arterial coronariana" e "Colesterol1 Alto".

 

Fonte: JAMA Cardiology, notícia publicada em 18 de maio de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Níveis muito altos de colesterol HDL foram associados à morte precoce em pessoas com doença arterial coronariana. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1418185/niveis-muito-altos-de-colesterol-hdl-foram-associados-a-morte-precoce-em-pessoas-com-doenca-arterial-coronariana.htm>. Acesso em: 27 set. 2022.

Complementos

1 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
2 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
3 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
6 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
7 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!