Gostou do artigo? Compartilhe!

Interfaces cardiovasculares neuroimunes controlam a aterosclerose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Placas1 ateroscleróticas se desenvolvem na camada íntima interna das artérias2 e podem causar ataques cardíacos e acidentes vasculares3 cerebrais (AVCs). Como as placas1 carecem de inervação, os efeitos do controle neuronal na aterosclerose4 permanecem obscuros.

No entanto, o sistema imunológico5 responde às placas1 formando infiltrados de leucócitos6 na camada externa do tecido conjuntivo7 das artérias2 (a adventícia).

Neste estudo, publicado na revista Nature, considerando que o sistema nervoso periférico8 usa a adventícia como seu principal conduto para atingir alvos distantes, postulou-se que o sistema nervoso periférico8 pode interagir diretamente com as artérias2 doentes.

Inesperadamente, interfaces cardiovasculares neuroimunes (ICNIs) difundidas surgiram em segmentos da camada adventícia com doença aterosclerótica de camundongos e humanos, mostrando redes de axônios9 expandidos, incluindo cones de crescimento em terminações de axônios9 perto de células10 imunes e células musculares11 lisas médias.

As ICNIs de camundongo estabeleceram um circuito artéria12-cérebro13 (CAC) estrutural: os aferentes nociceptivos da adventícia abdominal entraram no sistema nervoso central14 através dos gânglios15 da raiz dorsal T6-T13 da medula espinhal16 e foram rastreados para regiões superiores do cérebro13, incluindo os neurônios17 do núcleo parabraquial e do núcleo central da amígdala18; e neurônios17 eferentes simpáticos se projetaram a partir dos neurônios17 medulares e hipotalâmicos para a adventícia através dos neurônios17 da coluna intermédio-lateral e dos gânglios celíacos19 e da cadeia simpática.

Além disso, os componentes do sistema nervoso periférico8 do CAC foram ativados: as atividades esplênicas do nervo vago simpático20 e celíaco aumentaram paralelamente à progressão da doença, enquanto a ganglionectomia celíaca levou à desintegração das ICNIs da adventícia, à redução da progressão da doença e ao aumento da estabilidade da placa21.

Assim, foi demonstrado que o sistema nervoso periférico8 utiliza interfaces cardiovasculares neuroimunes para montar um circuito artéria12-cérebro13 estrutural, e a intervenção terapêutica22 nesse circuito atenua a aterosclerose4.

Leia sobre "Aterosclerose4", "Doenças das artérias2" e "Doenças cardiovasculares23".

 

Fonte: Nature, publicação em 27 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Interfaces cardiovasculares neuroimunes controlam a aterosclerose. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1416175/interfaces-cardiovasculares-neuroimunes-controlam-a-aterosclerose.htm>. Acesso em: 2 jul. 2022.

Complementos

1 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
2 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
3 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
4 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
5 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
6 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
7 Tecido conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
8 Sistema Nervoso Periférico: Sistema nervoso localizado fora do cérebro e medula espinhal. O sistema nervoso periférico compreende as divisões somática e autônoma. O sistema nervoso autônomo inclui as subdivisões entérica, parassimpática e simpática. O sistema nervoso somático inclui os nervos cranianos e espinhais e seus gânglios e receptores sensitivos periféricos. Vias Neurais;
9 Axônios: Prolongamento único de uma célula nervosa. Os axônios atuam como condutores dos impulsos nervosos e só possuem ramificações na extremidade. Em toda sua extensão, o axônio é envolvido por um tipo celular denominado célula de Schwann.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Células Musculares: Células contráteis maduras, geralmente conhecidas como miócitos, que formam um dos três tipos de músculo. Os três tipos de músculo são esquelético (FIBRAS MUSCULARES), cardíaco (MIÓCITOS CARDÍACOS) e liso (MIÓCITOS DE MÚSCULO LISO). Provêm de células musculares embrionárias (precursoras) denominadas MIOBLASTOS.
12 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
13 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
14 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
15 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
16 Medula Espinhal:
17 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
18 Amígdala: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
19 Gânglios Celíacos: Gânglios do sistema nervoso simpático, incluindo os gânglios paravertebrais e pré-vertebrais. Entre estes estão a cadeia de gânglios simpáticos, os gânglios cervical superior, médio e inferior, os gânglios aórtico-renal, celíaco e estrelado.
20 Simpático: 1. Relativo à simpatia. 2. Que agrada aos sentidos; aprazível, atraente. 3. Em fisiologia, diz-se da parte do sistema nervoso vegetativo que põe o corpo em estado de alerta e o prepara para a ação.
21 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
22 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
23 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!