Gostou do artigo? Compartilhe!

Pessoas com transtornos mentais têm risco elevado de demência

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os transtornos mentais são uma categoria subestimada de fatores de risco modificáveis para demência1. Desenvolver uma base de evidências sobre a ligação entre transtornos mentais e risco de demência1 requer estudos que usem amostras grandes e representativas, considerem toda a gama de condições psiquiátricas, determinem transtornos mentais desde o início da vida, usem longos acompanhamentos e distingam entre doença de Alzheimer2 e demências relacionadas.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Psychiatry, foi testar se os transtornos mentais antecedem a demência1 ao longo de 3 décadas de observação.

Veja sobre "Saúde3 mental - o que é", "Principais transtornos mentais" e "Demência1".

Este estudo de registro administrativo de base populacional de transtornos mentais e doença de Alzheimer2 e demências relacionadas incluiu todos os indivíduos nascidos na Nova Zelândia entre 1928 e 1967 que residiram no país em qualquer momento durante o período de observação de 30 anos entre julho de 1988 e junho de 2018.

Os dados eram da Infraestrutura Integrada de Dados da Nova Zelândia, uma coleção de fontes de dados administrativos de toda a população vinculadas no nível individual. Os dados foram analisados de outubro de 2020 a novembro de 2021.

Os diagnósticos de transtornos mentais foram verificados a partir de registros de hospitais públicos.

Os diagnósticos de demência1 foram verificados a partir de registros de hospitais públicos, registros de mortalidade4 e registros farmacêuticos.

Dos 1.711.386 indivíduos incluídos, 866.301 (50,6%) eram do sexo masculino e os indivíduos tinham entre 21 e 60 anos no início do estudo.

Em relação aos indivíduos sem transtorno mental, aqueles com transtorno mental apresentaram risco aumentado de desenvolver demência1 subsequente (risco relativo [RR], 4,24; IC 95%, 4,07-4,42; taxa de risco, 6,49; IC 95%, 6,25-6,73).

Entre os indivíduos com demência1, aqueles com transtorno mental desenvolveram demência1 em média 5,60 anos (IC 95%, 5,31-5,90) antes do que aqueles sem transtorno mental.

As associações se mantiveram por sexo e idade e após a contabilização de doenças físicas crônicas preexistentes e privações socioeconômicas.

As associações estavam presentes em diferentes tipos de transtornos mentais e comportamento de automutilação (RRs variaram de 2,93 [IC 95%, 2,66-3,21] para transtornos neuróticos a 6,20 [IC 95%, 5,67-6,78] para transtornos psicóticos), e eram evidentes para a doença de Alzheimer2 (RR, 2,76; IC 95%, 2,45-3,11) e todas as outras demências (RR, 5,85; IC 95%, 5,58-6,13).

Neste estudo, os transtornos mentais foram associados ao aparecimento de demência1 na população, de modo que pessoas com transtornos mentais no início da vida estavam em risco elevado de demência1 subsequente e início de demência1 em idade mais jovem.

Melhorar os transtornos mentais no início da vida pode reduzir o risco de declínio cognitivo5 e doenças neurodegenerativas na vida adulta, prolongando a qualidade de vida na velhice.

Leia também sobre "Neurologia ou Psiquiatria: quais são as diferenças", "Distúrbio neurocognitivo" e "Doenças degenerativas6".

 

Fonte: JAMA Psychiatry, publicação em 16 de fevereiro de 2022. (doi:10.1001/jamapsychiatry.2021.4377)

 

NEWS.MED.BR, 2022. Pessoas com transtornos mentais têm risco elevado de demência. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1410690/pessoas-com-transtornos-mentais-tem-risco-elevado-de-demencia.htm>. Acesso em: 2 jul. 2022.

Complementos

1 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
2 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
6 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
Gostou do artigo? Compartilhe!