Gostou do artigo? Compartilhe!

Câncer de ovário em estágio inicial: mais de 70% das pacientes relataram um ou mais sintomas antes do diagnóstico

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Mais de 70% das mulheres com câncer1 de ovário2 de alto risco em estágio inicial apresentaram um ou mais sintomas3 de doença subjacente, na maioria das vezes dor abdominal ou pélvica4, mostrou uma grande revisão retrospectiva. 

Quase um terço das 419 pacientes relataram dor abdominal ou pélvica4, e um quarto se queixou de plenitude ou aumento da circunferência abdominal. Menos comumente, as pacientes relataram sangramento vaginal anormal, sintomas3 urinários ou sintomas3 gastrointestinais. Um terço das pacientes relatou mais de um sintoma5

O número de sintomas3 aumentou com o tamanho do tumor6, mas não com a idade da paciente, estágio da doença ou subtipo histológico7

As descobertas sugerem que a percepção amplamente difundida do câncer1 de ovário2 como uma "doença silenciosa" é imprecisa, relatou John K. Chan, MD, e coautores, em artigo publicado na revista Obstetrics & Gynecology

"Um desses cinco sintomas3 comuns identificados neste relatório atual pode potencialmente ser usado para avaliar pacientes com câncer1 de ovário2 em estágio inicial", disseram os autores sobre suas descobertas. 

Saiba mais sobre "Câncer1 de ovário2", "Causas da dor abdominal" e "Como é a dor pélvica4 crônica".

Uma revisão abrangente da literatura anterior mostrou que 95% das pacientes com câncer1 de ovário2 apresentavam sintomas3 associados. A menor prevalência8 de sintomas3 no estudo atual provavelmente refletiu o fato de que todas as pacientes tinham doença em estágio inicial, continuaram os autores. 

"Pesquisas adicionais são necessárias para avaliar a percepção dos sintomas3 em cânceres em estágio inicial e possivelmente incorporar novos biomarcadores séricos e dispositivos de monitoramento vestíveis", concluíram Chan e coautores. "Como um dos poucos estudos que descrevem sintomas3 de câncer1 de ovário2 de alto risco em estágio inicial, nossos dados mostraram que mais de 70% das pacientes apresentam um ou mais sintomas3. Assim, mesmo na doença em estágio inicial, o câncer1 de ovário2 não é necessariamente uma doença silenciosa." 

O estudo descobriu falhas no "mito" de que apenas mulheres com câncer1 de ovário2 em estágio avançado têm sintomas3 associados, de acordo com o autor de um editorial que acompanhou o artigo. 

"Muitos profissionais de saúde9 aparentemente desconhecem os sintomas3 tipicamente associados ao câncer1 de ovário2, portanto, o diagnóstico10 errado continua sendo comum", escreveu Barbara Goff, MD, da Universidade de Washington em Seattle. 

As descobertas somaram-se a evidências de pesquisas clínicas que mostram que mais de 90% das mulheres com câncer1 de ovário2 em estágio inicial relataram ter sintomas3 antes do diagnóstico10

"Tanto as pacientes quanto os profissionais de saúde9 devem ser informados sobre esses sintomas3, e todos nós precisamos de um alto índice de suspeita em pacientes sintomáticas para evitar atrasos no diagnóstico10", concluiu. "Mulheres com doença em estágio inicial têm taxas de sobrevivência11 que são mais que o dobro daquelas em mulheres com doença em estágio avançado. Portanto, o reconhecimento dos sintomas3 com testes diagnósticos apropriados continua sendo muito importante em nossos esforços para melhorar os resultados". 

A maioria dos cânceres de ovário2 continua a ser diagnosticada em estágios avançados, a maioria dos quais se repetirá e, posteriormente, desenvolverá quimiorresistência. O diagnóstico10 em estágio inicial pode influenciar a sobrevida12 global, mas continua sendo um desafio, observaram Chan e coautores. 

No artigo, os pesquisadores descrevem que o objetivo do estudo foi avaliar a apresentação, características e significado prognóstico13 dos sintomas3 em pacientes com câncer1 de ovário2 epitelial de alto risco em estágio inicial. 

Uma revisão retrospectiva de prontuários foi realizada em todas as pacientes inscritas em um ensaio clínico de fase III (GOG 157). Todas as pacientes tinham câncer1 de ovário2 epitelial de alto risco em estágio inicial, cirurgicamente estadiado (estágio IA-IB e grau 3, qualquer célula14 clara, estágio IC ou II). Estimativas de Qui-quadrado e Kaplan-Meier e modelos de riscos proporcionais de Cox foram usados para análises estatísticas. 

Das 419 pacientes avaliadas quanto aos sintomas3, 301 (72%) apresentaram um ou mais sintomas3 e 118 (28%) eram assintomáticas, mas tinham uma massa encontrada no exame. Quarenta por cento tinham apenas um sintoma5 e 32% tinham mais de um sintoma5. Entre aquelas com pelo menos um sintoma5, os mais comuns foram dor abdominal e pélvica4 (31%) e aumento da circunferência abdominal ou plenitude (26%). 

No geral, 23% das pacientes com tumores de 10 cm ou menores, 27% das pacientes com tumores maiores que 10 cm a 15 cm e 46% das pacientes com tumores maiores que 15 cm tinham sintomas3 múltiplos (P <0,001). 

Não houve diferença significativa na apresentação dos sintomas3 com base na idade, estágio ou subtipo histológico7. Os sintomas3 ao diagnóstico10 não foram associados com recorrência15 ou sobrevida12

O artigo conclui que mais de 70% das pacientes com câncer1 de ovário2 epitelial de alto risco em estágio inicial apresentam um ou mais sintomas3, sendo os mais comuns a dor abdominal ou pélvica4. A proporção de mulheres com sintomas3 e o número de sintomas3 aumentam com o aumento do tamanho do tumor6

Leia sobre "Marcadores tumorais: para que eles servem", "Riscos e benefícios da retirada dos ovários16" e "Cisto de ovário2".

 

Fontes: 
Obstetrics & Gynecology, publicação em 06 de janeiro de 2022. (doi: 10.1097/AOG.0000000000004642)
MedPage Today, notícia publicada em 06 de janeiro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Câncer de ovário em estágio inicial: mais de 70% das pacientes relataram um ou mais sintomas antes do diagnóstico. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1408590/cancer-de-ovario-em-estagio-inicial-mais-de-70-das-pacientes-relataram-um-ou-mais-sintomas-antes-do-diagnostico.htm>. Acesso em: 27 set. 2022.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Pélvica: Relativo a ou próprio de pelve. A pelve é a cavidade no extremo inferior do tronco, formada pelos dois ossos do quadril (ilíacos), sacro e cóccix; bacia. Ou também é qualquer cavidade em forma de bacia ou taça (por exemplo, a pelve renal).
5 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
7 Histológico: Relativo à histologia, ou seja, relativo à disciplina biomédica que estuda a estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
8 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
9 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
10 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
11 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
12 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
13 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
14 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
15 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
16 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
Gostou do artigo? Compartilhe!