Gostou do artigo? Compartilhe!

Pacientes com diabetes autoimune latente possuem características diferentes da microbiota intestinal e do metabolismo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os diabetes1 tipo 1 e tipo 2 estão associados à disbiose intestinal2. No entanto, a relação entre a microbiota3 intestinal e o diabetes1 autoimune4 latente em adultos (DALA), compartilhando características clínicas e metabólicas com o diabetes tipo 15 e 2 clássico, permanece obscura.

Neste estudo, publicado pela revista Diabetes1 Care, pesquisadores usaram uma abordagem multiômica para identificar as características da microbiota3 intestinal e perfis metabólicos em pacientes com DALA.

Este estudo caso-controle pareado por idade e sexo incluiu 30 pacientes com DALA, 31 pacientes com diabetes tipo 15 clássico, 30 pacientes com diabetes tipo 26 e 29 indivíduos saudáveis. Os perfis da microbiota3 intestinal foram identificados por meio do gene 16S rRNA, e os metabólitos7 fecais e séricos foram medidos por meio de cromatografia líquida não direcionada acoplada à espectrometria de massa.

Os pacientes com DALA tinham estrutura e composição significativamente diferentes da microbiota3 intestinal e seus metabólitos7, bem como uma deficiência severa de bactérias produtoras de ácidos graxos de cadeia curta.

A estrutura da microbiota3 intestinal dos pacientes com DALA era mais semelhante a dos pacientes com diabetes tipo 15 que eram positivos para o anticorpo8 GAD. Identificou-se sete módulos de metabólitos7 séricos e oito módulos de metabólitos7 fecais que diferiam entre o grupo DALA e os outros grupos.

O estudo concluiu que a microbiota3 intestinal característica e metabólitos7 relacionados de pacientes com diabetes autoimune latente em adultos9 estão associados a autoanticorpos, metabolismo10 da glicose11, função das ilhotas12 e fatores inflamatórios, que podem contribuir para a patogênese13 do DALA.

Estudos longitudinais futuros devem explorar se a modulação da microbiota3 intestinal e de metabólitos7 relacionados pode alterar o curso natural do diabetes1 autoimune4 na busca por novas terapêuticas.

Leia mais sobre "Diabetes1 autoimune4 latente", "Microbioma14 intestinal humano", "Disbiose intestinal2" e "Bactérias do bem".

 

Fonte: Diabetes1 Care, publicação em 07 de outubro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Pacientes com diabetes autoimune latente possuem características diferentes da microbiota intestinal e do metabolismo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1404785/pacientes-com-diabetes-autoimune-latente-possuem-caracteristicas-diferentes-da-microbiota-intestinal-e-do-metabolismo.htm>. Acesso em: 8 dez. 2021.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Disbiose intestinal: Definida como o desequilíbrio da flora intestinal, entre os microrganismos benéficos e patogênicos, que resulta em uma situação desfavorável à saúde do indivíduo.
3 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
4 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
5 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
6 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
7 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
8 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
9 Diabetes autoimune latente em adultos: Condição em que o diabetes tipo 1 ocorre em adultos.
10 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
11 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
12 Ilhotas: Grupo de células localizadas no pâncreas responsáveis pela produção de hormônios que ajudam o organismo a quebrar e utilizar os alimentos. Por exemplo, as células-alfa produzem glucagon e as células-beta produzem insulina. Também chamadas de células de Langerhans.
13 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
14 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!