Gostou do artigo? Compartilhe!

Mais da metade das crianças e adolescentes com diabetes tipo 2 desenvolvem complicações dentro de 15 anos após o diagnóstico

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Crianças com diabetes tipo 21 correm alto risco de desenvolver complicações graves – variando de hipertensão2 a doença renal3 – por volta dos 20 ou 30 anos, de acordo com um estudo de 15 anos com centenas de jovens com a doença.

O diabetes tipo 21 é caracterizado pela incapacidade de regular os níveis de açúcar4 no sangue5. Nos Estados Unidos, o número de crianças com diabetes tipo 21 aumentou quase 5% ao ano de 2002 a 2012.

Para examinar os efeitos de longo prazo dessa tendência, Kimberly Drews, da George Washington University nos Estados Unidos, e seus colegas começaram a monitorar 500 crianças de 11 a 17 anos que haviam sido diagnosticadas com diabetes tipo 21 em média oito meses antes.

Os pesquisadores descobriram que, ao final do período de estudo de 15 anos, 60% dos participantes – que tinham em média 26 anos na época – desenvolveram pelo menos uma complicação relacionada ao diabetes6, como doença renal3. Quase um terço teve doença dos nervos, quatro tiveram um derrame7 e seis morreram.

Os autores dizem que suas descobertas têm implicações importantes para a saúde8 pública.

Saiba mais sobre "Diabetes Mellitus9", "Diabetes6 na adolescência" e "Prevenção do diabetes6 e suas complicações".

O estudo foi publicado no The New England Journal of Medicine, e avaliou as complicações de longo prazo no diabetes tipo 21 de início na juventude.

Os autores relatam como a prevalência10 de diabetes tipo 21 em jovens está aumentando, mas pouco se sabe sobre a ocorrência de complicações relacionadas durante a transição desses jovens para a idade adulta.

Previamente, os pesquisadores realizaram um ensaio clínico multicêntrico (de 2004 a 2011) para avaliar os efeitos de um dos três tratamentos (metformina11, metformina11 mais rosiglitazona ou metformina11 mais uma intervenção intensiva no estilo de vida) no tempo de perda do controle glicêmico em participantes que tiveram o início do diabetes tipo 21 na juventude.

Após a conclusão do ensaio, os participantes foram transferidos para metformina11 com ou sem insulina12 e foram inscritos em um estudo de acompanhamento observacional (realizado de 2011 a 2020), que foi realizado em duas fases; os resultados deste estudo de acompanhamento são relatados na presente publicação.

Avaliações para doença renal3 diabética, hipertensão2, dislipidemia e doença dos nervos foram realizadas anualmente, e avaliações para doença retiniana foram realizadas duas vezes. Complicações relacionadas ao diabetes6 identificadas fora do estudo foram confirmadas e julgadas.

No final da segunda fase do estudo de acompanhamento (janeiro de 2020), a idade média (± DP) dos 500 participantes incluídos nas análises foi de 26,4 ± 2,8 anos, e o tempo médio desde o diagnóstico13 de diabetes6 foi de 13,3 ± 1,8 anos.

A incidência14 cumulativa de hipertensão2 foi de 67,5%, a incidência14 de dislipidemia foi de 51,6%, a incidência14 de doença renal3 diabética foi de 54,8% e a incidência14 de doença dos nervos foi de 32,4%.

A prevalência10 de doenças retinianas, incluindo estágios mais avançados, foi de 13,7% no período de 2010 a 2011 e 51,0% no período de 2017 a 2018.

Pelo menos uma complicação ocorreu em 60,1% dos participantes, e pelo menos duas complicações ocorreram em 28,4%.

Os fatores de risco para o desenvolvimento de complicações incluíram raça ou grupo étnico minoritário, hiperglicemia15, hipertensão2 e dislipidemia. Nenhum evento adverso foi registrado durante o acompanhamento.

O estudo concluiu, portanto, que entre os participantes que tiveram início de diabetes tipo 21 na juventude, o risco de complicações, incluindo complicações microvasculares, aumentou de forma constante ao longo do tempo e afetou a maioria dos participantes no início da idade adulta. As complicações foram mais comuns entre os participantes de uma minoria de raça e grupo étnico e entre aqueles com hiperglicemia15, hipertensão2 e dislipidemia.

Leia sobre "Nefropatia16 diabética", "Retinopatia diabética17" e "Opções de tratamentos para o diabetes6".

 

Fontes:
The New England Journal of Medicine, publicação em 29 de julho de 2021.
Nature, notícia publicada em 28 de julho de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Mais da metade das crianças e adolescentes com diabetes tipo 2 desenvolvem complicações dentro de 15 anos após o diagnóstico. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1399045/mais-da-metade-das-criancas-e-adolescentes-com-diabetes-tipo-2-desenvolvem-complicacoes-dentro-de-15-anos-apos-o-diagnostico.htm>. Acesso em: 20 set. 2021.

Complementos

1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
4 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
8 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
11 Metformina: Medicamento para uso oral no tratamento do diabetes tipo 2. Reduz a glicemia por reduzir a quantidade de glicose produzida pelo fígado e ajudando o corpo a responder melhor à insulina produzida pelo pâncreas. Pertence à classe das biguanidas.
12 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
13 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
14 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
15 Hiperglicemia: Excesso de glicose no sangue. Hiperglicemia de jejum é o nível de glicose acima dos níveis considerados normais após jejum de 8 horas. Hiperglicemia pós-prandial acima de níveis considerados normais após 1 ou 2 horas após alimentação.
16 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
17 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
Gostou do artigo? Compartilhe!