Gostou do artigo? Compartilhe!

Cirurgia que requer anestesia geral em bebês prematuros está associada a piores resultados do desenvolvimento cerebral

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo publicado na revista Pediatric Research teve como objetivo descrever e contrastar o desenvolvimento do cérebro1 e o resultado entre bebês2 muito prematuros que foram e não foram expostos à cirurgia que exigia anestesia3 geral antes da idade equivalente a termo (IET).

Foram estudados bebês2 prematuros nascidos com ≤30 semanas de gestação que tiveram (n = 25) e não tiveram (n = 59) cirurgia que exigiu anestesia3 geral. Na IET, os bebês2 tiveram exames de ressonância magnética4 realizados com medidas de volumes de tecido5 cerebral, área de superfície cortical, índice de girificação e microestrutura da substância branca.

O acompanhamento do neurodesenvolvimento com as escalas Bayley de desenvolvimento de bebês2 e crianças pequenas, terceira edição, foi realizado aos 2 anos de idade corrigida. Modelos multivariados, ajustados para fatores de risco clínicos e sociais, foram usados ​​para comparar os grupos.

Depois de controlar as variáveis ​​clínicas e sociais, os bebês2 prematuros expostos à anestesia3 cirúrgica demonstraram diminuição dos volumes de substância branca relativos na IET e menores escores compostos cognitivos6 e motores em 2 anos de acompanhamento.

Aqueles com exposição cirúrgica mais longa demonstraram a maior redução nos volumes de substância branca e resultados cognitivos6 e motores mais baixos aos 2 anos de idade.

O estudo concluiu que bebês2 muito prematuros que necessitaram de cirurgia durante o período pré-termo tiveram menores volumes de substância branca na idade equivalente a termo e pior resultado do neurodesenvolvimento aos 2 anos de idade.

Leia mais sobre "Prematuridade e os cuidados necessários", "Anestesia3 geral - como é", "Desenvolvimento infantil" e "Crescimento Infantil7".

Impacto

  • Em bebês2 muito prematuros, há uma associação entre a cirurgia que requer anestesia3 geral durante o período pré-termo e a redução do volume da substância branca na ressonância magnética4 na idade equivalente a termo e menores escores compostos cognitivos6 e motores aos 2 anos de idade.
  • Sabe-se que o cérebro1 do bebê muito prematuro passa por rápido crescimento no período correspondente ao terceiro trimestre.
  • O estudo atual sugere uma associação entre cirurgia que requer anestesia3 geral durante este período e piores resultados.

 

Fonte: Pediatric Research, publicação em abril de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Cirurgia que requer anestesia geral em bebês prematuros está associada a piores resultados do desenvolvimento cerebral. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1395750/cirurgia-que-requer-anestesia-geral-em-bebes-prematuros-esta-associada-a-piores-resultados-do-desenvolvimento-cerebral.htm>. Acesso em: 4 ago. 2021.

Complementos

1 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
2 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
4 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
5 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
6 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
7 Crescimento Infantil: Aumento na estrutura do corpo, tendo em vista a multiplicação e o aumento do tamanho das células. Controla-se principalmente o peso corporal, a estatura e o perímetro cefálico, com o objetivo de saber o quanto a criança ganhou ou perdeu em determinados intervalos de tempo e tendo por base um acompanhamento a longo prazo, através de anotações em gráficos ou curvas de crescimento. O pediatra precisa conhecer e analisar vários fatores referentes à criança e a sua família, como o peso e a altura dos pais, o padrão de crescimento deles, os dados da gestação, o peso e a estatura ao nascimento e a alimentação do bebê para avaliar a situação do crescimento de determinada criança. Não é simplesmente consultar gráficos. Somente o médico da criança pode avaliar seu crescimento. Uma criança pode estar fora da “faixa mais comum de referência“ e, ainda assim, ter um crescimento normal.
Gostou do artigo? Compartilhe!