Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo demonstra uma relação bidirecional entre senso de propósito na vida e atividade física

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pessoas com um maior senso de propósito na vida podem ser mais propensas a se envolver em atividades físicas. Ao mesmo tempo, a atividade física pode contribuir para um senso de propósito na vida, criando um círculo virtuoso que mantém as pessoas em movimento.

Um estudo, publicado no Journal of Behavioral Medicine, abordou os efeitos recíprocos de sentir que sua vida tem sentido e estar sempre em movimento. O estudo, que envolveu mais de 18.000 homens e mulheres de meia-idade e mais velhos, descobriu que aqueles com o senso de propósito mais forte no início eram os mais propensos a se tornarem ativos com o tempo, e vice-versa.

As descobertas ressaltam o quão trançada pode ser a relação entre atividade física e bem-estar psicológico, e como os efeitos costumam ocorrer nos dois sentidos.

A ciência já oferece muitas evidências de que ser ativo fortalece a saúde1 mental, bem como física. Estudo após estudo mostra que homens e mulheres que se exercitam têm menos probabilidade do que os sedentários de desenvolver depressão ou ansiedade. Pesquisas adicionais indicam que o inverso pode ser verdadeiro, e as pessoas que se sentem deprimidas ou ansiosas tendem a não malhar.

Mas a maioria desses estudos examinou as conexões entre exercícios e humores negativos. Poucos investigaram as emoções positivas e suas ligações com a atividade física, e menos ainda examinaram o papel de um forte senso de propósito e como ele pode influenciar a nos movermos e vice-versa.

Leia sobre "Atividade física. Um hábito adquirido com prazer", "Saúde1 mental - o que é" e "Exercícios aeróbicos".

Essa omissão intrigou Ayse Yemiscigil, pesquisadora de pós-doutorado do Programa de Prosperidade Humana da Universidade de Harvard, que estuda bem-estar. “Um senso de propósito é o sentimento que você obtém por ter metas e planos que dão direção e sentido à vida”, diz ela. “Trata-se de estar envolvido com a vida de maneira produtiva.”

Esta definição de propósito pareceu-lhe sobrepor-se de maneiras ressonantes às motivações de muitas pessoas para o exercício, diz ela. “Pessoas ativas costumam falar sobre como os exercícios dão estrutura e significado às suas vidas”, diz ela. “Ele fornece objetivos e realizações.”

Nesse caso, ela pensou, a atividade física poderia contribuir para um senso de propósito e, da mesma forma, um senso de propósito pode influenciar nossa probabilidade de praticar exercícios.

Assim, no estudo em questão a pesquisadora testou essas hipóteses usando um modelo de painel cross-lag em um painel longitudinal nacionalmente representativo de adultos americanos (N = 14.159, idade média = 68).

Um aumento no senso de propósito na vida foi associado a uma maior atividade física quatro anos depois, acima e além dos níveis de atividade anteriores. A atividade física foi positivamente associada a níveis futuros de senso de propósito na vida, controlando os níveis anteriores de propósito na vida.

Os resultados se mantiveram em um segundo painel nacional dos Estados Unidos com um acompanhamento de nove anos (N = 4.041, idade média = 56).

Esses resultados demonstram uma relação bidirecional entre senso de propósito na vida e atividade física em grandes amostras de adultos de meia-idade e idosos acompanhados ao longo do tempo.

“Foi especialmente interessante ver esses efeitos em pessoas mais velhas”, diz a Dra. Yemiscigil, “uma vez que muitos idosos relatam uma diminuição do senso de propósito em suas vidas e também costumam ter baixas taxas de envolvimento em atividades físicas”.

Este estudo foi baseado, no entanto, nas estimativas subjetivas das pessoas sobre seus exercícios e propósito, que podem não ser confiáveis. As descobertas também são associativas, o que significa que mostram ligações entre ter um senso de propósito em um ponto da vida e ser ativo mais tarde, ou vice-versa, portanto, não prova que uma coisa causa a outra.

Mas a Dra. Yemiscigil acredita que as associações são sólidas e racionais. “As pessoas geralmente relatam mais autoeficácia” depois de começarem a se exercitar, diz ela, o que pode levá-las a se sentirem capazes de estabelecer novas metas e desenvolver um propósito novo ou ampliado na vida. E do outro lado, “quando você tem objetivos e um senso de propósito, provavelmente deseja ser saudável e viver o suficiente para cumpri-los”.

Veja também sobre "Musculação para idosos", "Envelhecimento saudável" e "Benefícios do Pilates".

 

Fontes:
Journal of Behavioral Medicine, publicação em 23 de abril de 2021.
The New York Times, notícia publicada em 12 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo demonstra uma relação bidirecional entre senso de propósito na vida e atividade física. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1395430/estudo-demonstra-uma-relacao-bidirecional-entre-senso-de-proposito-na-vida-e-atividade-fisica.htm>. Acesso em: 26 jul. 2021.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!