Gostou do artigo? Compartilhe!

Revisão sistemática e metanálise mostra que hipertensão e albuminúria são comuns no diabetes tipo 2 pediátrico

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma análise de 60 estudos que examinaram o diabetes tipo 21 pediátrico está detalhando o risco de hipertensão2 e albuminúria3 entre essa população de pacientes – sugerindo que uma ou ambas as comorbidades4 estavam presentes entre quase 1 em 5 pacientes (aproximadamente 20%).

O estudo, que foi conduzido por pesquisadores da Universidade McMaster e publicado no JAMA Network Open, sugere que ambas as comorbidades4 eram comuns entre pacientes com diabetes5 pediátrico e observou que havia uma carga desproporcional entre os jovens indígenas e das ilhas do Pacífico.

“Esses dados são relevantes para profissionais de saúde6 e legisladores, já que os serviços clínicos que tratam de pacientes pediátricos com diabetes tipo 21 precisam de recursos para rastrear exames renais e tratamentos para melhorar os resultados”, escreveram os pesquisadores.

Hipertensão2 e albuminúria3 são marcadores de nefropatia7 relacionada ao diabetes5 e fatores importantes associados aos resultados renais no diabetes tipo 21 pediátrico. No entanto, sua prevalência8 nesses pacientes é desconhecida.

Dessa forma, o objetivo do estudo foi medir a prevalência8 de hipertensão2 e albuminúria3 em pacientes pediátricos com diabetes tipo 21 e avaliar a associação de sexo e raça/etnia com essas condições.

Saiba mais sobre "Diabetes5 na adolescência", "Hipertensão arterial9 na infância" e "Albuminúria3 - o que ela pode representar".

As bases de dados MEDLINE, Embase, CINAHL, Cochrane Library e Web of Science, a literatura cinzenta e referências dos artigos selecionados foram pesquisados ​​para estudos humanos desde a data de início dos bancos de dados até 20 de fevereiro de 2020.

Foram incluídos estudos observacionais com pelo menos 10 participantes relatando a prevalência8 de hipertensão2 e/ou albuminúria3 em pacientes pediátricos com diabetes5 tipo 2. Três equipes de 2 revisores independentes examinaram 7.614 artigos, dos quais 60 preencheram os critérios de elegibilidade.

Três equipes de 2 revisores independentes realizaram a extração de dados, análise de risco de viés e análise de nível de evidência. A metanálise foi conduzida usando um modelo de efeitos aleatórios e seguiu as diretrizes de Metanálise de Estudos Observacionais em Epidemiologia (MOOSE).

Os desfechos primários incluíram as taxas de prevalência8 combinadas (porcentagens com IC de 95%) para hipertensão2 e albuminúria3. Os desfechos secundários avaliaram as taxas de prevalência8 agrupadas por sexo e grupo racial/étnico.

Sessenta estudos foram incluídos na revisão sistemática. A duração do diabetes5 variou desde a inclusão no diagnóstico10 até 15,0 anos após o diagnóstico10, e a média de idade relatada no diagnóstico10 variou de 6,5 a 21,0 anos.

A prevalência8 de hipertensão2 entre 3.463 participantes foi de 25,33% (IC de 95%, 19,57% - 31,53%). Participantes do sexo masculino tiveram maior risco de hipertensão2 do que participantes do sexo feminino (odds ratio [OR], 1,42 [IC de 95%, 1,10-1,83]), com os jovens das ilhas do Pacífico e indígenas tendo a maior prevalência8 de todos os grupos raciais/étnicos (jovens das ilhas do Pacífico: 26,71% [IC 95%, 14,54% - 40,72%]; jovens indígenas: 26,48% [IC 95%, 17,34% - 36,74%]; jovens brancos: 20,95% [IC 95%, 12,65% - 30,57%]; jovens afro-americanos: 19,04% [IC 95%, 12,01% - 27,23%]; jovens hispânicos/latinos: 15,11% [IC 95%, 6,56% - 26,30%]; jovens asiáticos: 18,37% [IC 95%, 9,49% - 29,23%]).

A prevalência8 de albuminúria3 entre 2.250 participantes foi de 22,17% (IC de 95%, 17,34% - 27,38%). Jovens das ilhas do Pacífico, jovens indígenas e jovens asiáticos tiveram taxas de prevalência8 mais altas do que jovens brancos (jovens das ilhas do Pacífico: 31,84% [IC 95%, 11,90% - 55,47%]; jovens indígenas: 24,27% [IC 95%, 14,39% - 35,73%]; jovens asiáticos: 23,00% [IC 95%, 18,85% - 27,41%]; jovens brancos: 12,59% [IC 95%, 7,75% - 18,33%]), sem diferenças de sexo (OR para participantes masculinos vs femininos, 0,68 [IC 95%, 0,46-1,01]).

A heterogeneidade foi alta entre os estudos, com risco baixo a moderado de viés.

Neste estudo, os marcadores de nefropatia7 relacionada ao diabetes5 foram comumente detectados em pacientes pediátricos com diabetes tipo 21 (25% tinham hipertensão2 e 22% tinham albuminúria3), com uma carga desproporcional observada entre os jovens indígenas e das ilhas do Pacífico.

Estratégias de manejo personalizadas para direcionar os resultados renais são urgentemente necessárias em pacientes pediátricos com diabetes tipo 21 para aliviar os danos desta condição aos rins11.

Leia sobre "Nefropatia7 diabética" e "Prevenção do diabetes5 e suas complicações".

 

Fontes:
JAMA Network Open, publicação em 30 de abril de 2021.
Practical Cardiology, notícia publicada em 08 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Revisão sistemática e metanálise mostra que hipertensão e albuminúria são comuns no diabetes tipo 2 pediátrico. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1394505/revisao-sistematica-e-metanalise-mostra-que-hipertensao-e-albuminuria-sao-comuns-no-diabetes-tipo-2-pediatrico.htm>. Acesso em: 13 jun. 2021.

Complementos

1 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
2 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
3 Albuminúria: Presença de albumina na urina. A albuminúria pode ser um sinal de nefropatia diabética (doença nos rins causada pelas complicações do diabetes mal controlado) ou aparecer em infecções urinárias.
4 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Nefropatia: Lesão ou doença do rim.
8 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
9 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
10 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
11 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
Gostou do artigo? Compartilhe!