Gostou do artigo? Compartilhe!

Terapia antiplaquetária dupla reduz risco de AVC recorrente em pacientes que sofreram AVC isquêmico ou ataque isquêmico transitório

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A terapia antiplaquetária é fundamental para prevenir eventos trombóticos1 após ataque isquêmico2 transitório ou acidente vascular cerebral3 isquêmico2. Embora o papel da aspirina esteja bem estabelecido, há evidências emergentes para o papel da terapia antiplaquetária dupla (TAPD) de curto prazo na prevenção de AVC recorrente.

Nesta pesquisa, publicada na revista Stroke, pesquisadores conduziram uma revisão sistemática e metanálises em nível de estudo de ensaios clínicos4 randomizados comparando os resultados da iniciação precoce de TAPD de curto prazo (aspirina + inibidor P2Y12 por até 3 meses) versus aspirina sozinha em pacientes com acidente vascular cerebral3 agudo5 ou ataque isquêmico2 transitório.

O desfecho primário de eficácia foi o risco de AVC recorrente e o desfecho primário de segurança foi a incidência6 de hemorragia7 maior. Os desfechos secundários estudados foram risco de qualquer acidente vascular cerebral3 isquêmico2, acidente vascular cerebral3 hemorrágico8, eventos cardiovasculares adversos maiores e morte por todas as causas. Taxas de risco agrupadas (RRs) e ICs foram calculados usando um modelo de efeitos aleatórios.

Quatro ensaios com um total de 21.459 pacientes foram incluídos. Em comparação com a aspirina sozinha, a TAPD teve um risco menor de AVC recorrente (RR, 0,76 [IC 95%, 0,68-0,83]; P <0,001; I² = 0%), mas um risco maior de eventos hemorrágicos9 maiores (RR, 2,22 [IC 95%, 1,14–4,34], P = 0,02, I² = 46,5%).

Os pacientes que receberam TAPD tiveram um risco menor de eventos cardiovasculares adversos maiores (RR, 0,76 [IC 95%, 0,69-0,84], P <0,001, I² = 0%) e eventos isquêmicos recorrentes (RR, 0,74 [IC 95%, 0,67-0,82], P <0,001, I² = 0%).

Concluiu-se que, em comparação com a aspirina sozinha, a terapia antiplaquetária dupla de curto prazo dentro de 24 horas de ataque isquêmico2 transitório de alto risco ou AVC isquêmico2 leve a moderado reduz o risco de AVC recorrente às custas de maior risco de hemorragia7 maior.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares10", "AVC - o que é e qual o tratamento" e "Isquemia11 cerebral transitória".

 

Fonte: Stroke, publicação em 27 de abril de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Terapia antiplaquetária dupla reduz risco de AVC recorrente em pacientes que sofreram AVC isquêmico ou ataque isquêmico transitório. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1394345/terapia-antiplaquetaria-dupla-reduz-risco-de-avc-recorrente-em-pacientes-que-sofreram-avc-isquemico-ou-ataque-isquemico-transitorio.htm>. Acesso em: 18 out. 2021.

Complementos

1 Trombóticos: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
2 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
5 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
8 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
9 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
10 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
11 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!