Gostou do artigo? Compartilhe!

O uso de esteroides anabolizantes foi associado ao comprometimento da função testicular, com diminuição da testosterona a longo prazo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O uso ilícito1 de esteroides anabólicos androgênicos2 (EAA) é frequentemente observado em homens e está associado à deficiência de testosterona subsequente, embora o efeito de longo prazo na função gonadal ainda não esteja claro.

Foi sugerido que o fator 3 semelhante à insulina3 (INSL3) sérico é um biomarcador superior da capacidade secretora das células de Leydig4 em comparação com a testosterona. O objetivo deste estudo, publicado pelo The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, foi investigar as concentrações séricas de INSL3 em usuários de EAA.

O estudo identificou uma relação entre o uso de anabolizantes e a diminuição de testosterona a longo prazo. Quanto maior o tempo de uso dos esteroides, mais baixos foram os níveis de testosterona, ocorrendo casos em que a substância levou à infertilidade5.

Este foi um estudo transversal baseado na comunidade, e incluiu homens com idades entre 18 e 50 anos, envolvidos em treinamento de força recreativo e alocados em um dos três grupos: nunca usuários de EAA como controles (n = 44), usuários atuais de EAA (n = 46) ou usuários anteriores de EAA (n = 42) com duração média desde a cessação do uso de EAA de 32 (23; 45) meses.

O INSL3 sérico foi menor em usuários atuais de EAA e ex-usuários de EAA do que nos controles, mediana (IQR), 0,04 (ND - 0,07) e 0,39 (0,24 - 0,62) versus 0,59 (0,45 - 0,72) µg/L, P <0,001.

Os ex-usuários de EAA exibiram níveis séricos de INSL3 mais baixos do que os controles em uma regressão linear multivariada, mesmo após o ajuste para testosterona total sérica e outros fatores de confusão relevantes, (B) (IC 95%), -0,16 (-0,29; -0,04) µg/L, P = 0,011. INSL3 e testosterona total não foram associados no modelo, P = 0,821.

A maior duração acumulada de uso de EAA (log2) foi associada com menor INSL3 sérico em ex-usuários de EAA, (B) (IC 95%), -0,08 (-0,14; -0,01), P = 0,022.

O INSL3 sérico, mas não a inibina B ou testosterona, foi associado ao tamanho testicular em uma regressão linear multivariada, (B) (IC 95%); 4,7 (0,5; 8,9), P = 0,030.

O estudo concluiu que os níveis séricos de fator 3 semelhante à insulina3 são reduzidos em homens ex-usuários de andrógenos6 anos após a cessação do uso, independentemente da testosterona, sugerindo capacidade das células de Leydig4 persistentemente prejudicada.

Saiba mais sobre "Anabolizantes - o que saber antes de usar", "O uso de testosterona", "Distúrbios da testosterona" e "Infertilidade5 masculina".

 

Fonte: The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, publicação em 09 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. O uso de esteroides anabolizantes foi associado ao comprometimento da função testicular, com diminuição da testosterona a longo prazo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1390465/o-uso-de-esteroides-anabolizantes-foi-associado-ao-comprometimento-da-funcao-testicular-com-diminuicao-da-testosterona-a-longo-prazo.htm>. Acesso em: 27 jul. 2021.

Complementos

1 Ilícito: 1. Condenado pela lei e/ou pela moral; proibido, ilegal. 2. Qualidade do que não é legal ou moralmente aceitável; ilicitude.
2 Androgênicos: Relativos à androgenia e a androgênios. Androgênios são hormônios esteroides, controladores do crescimento dos órgãos sexuais masculinos. O hormônio natural masculino é a testosterona.
3 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
4 Células de Leydig: Células produtoras de esteróides no tecido intersticial do TESTÍCULO. São reguladas pelos HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS, pelo HORMÔNIO LUTEINIZANTE ou pelo hormônio estimulante das células intersticiais. Entre os ANDROGÊNIOS produzidos , o principal hormônio é a TESTOSTERONA.
5 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
6 Andrógenos: Termo genérico para qualquer composto natural ou sintético, geralmente um hormônio esteróide, que estimula ou controla o desenvolvimento e manutenção das características masculinas em vertebrados ao ligar-se a receptores andrógenos. Isso inclui a atividade dos órgãos sexuais masculinos acessórios e o desenvolvimento de características sexuais secundárias masculinas. Também são os esteróides anabólicos originais. São precursores de todos os estrógenos, os hormônios sexuais femininos. São exemplos de andrógenos: testosterona, dehidroepiandrosterona (DHEA), androstenediona (Andro), androstenediol, androsterona e dihidrotestosterona (DHT).
Gostou do artigo? Compartilhe!