Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisa aponta mudanças de tendências nas causas predominantes de morte em indivíduos com e sem diabetes de 2001 a 2018

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A prevalência1 de diabetes2 aumentou no Reino Unido e em outros países de alta renda, juntamente com um declínio substancial na mortalidade3 cardiovascular. No entanto, são escassos os dados sobre como essas tendências mudaram as causas de morte em pessoas com diabetes2 que tradicionalmente morriam principalmente de causas vasculares4.

Leia: "[EBOOK] Diabetes Mellitus5 - Informações para ajudar a conhecer o diabetes2, preveni-lo, tratá-lo e evitar suas complicações".

Estimou-se como a mortalidade3 por todas as causas e a mortalidade3 por causa específica em pessoas com diabetes2 mudaram ao longo do tempo, como a composição da carga de mortalidade3 mudou e como essa composição se compara com a da população sem diabetes2.

Nesta análise epidemiológica de registros de atenção primária, publicada pelo The Lancet Diabetes2 & Endocrinology, foram identificados 313.907 indivíduos com diabetes2 no Clinical Practice Research Datalink, um banco de dados de atenção primária bem descrito, da Inglaterra, entre 2001 e 2018, e vinculou-se esses dados aos dados de mortalidade3 do UK Office for National Statistics.

Os pesquisadores montaram seções transversais em série com acompanhamento longitudinal para gerar uma população mista de estudos de prevalência1 e incidência6 de pacientes com diabetes2. Foram usados modelos de regressão de Poisson discretizados para estimar as taxas anuais de mortalidade3 por todas as causas e 12 causas específicas para homens e mulheres com diabetes2. Também foram identificados indivíduos pareados por idade e sexo (1:1) sem diabetes2 do mesmo conjunto de dados e estimou-se as taxas de mortalidade3 nesse grupo.

Entre 1º de janeiro de 2001 e 31 de outubro de 2018, a mortalidade3 total diminuiu 32% nos homens e 31% nas mulheres com diabetes2 diagnosticado. As taxas de mortalidade3 diminuíram de 40,7 mortes por 1000 pessoas-ano para 27,8 mortes por 1000 pessoas-ano em homens e de 42,7 mortes por 1000 pessoas-ano para 29,5 mortes por 1000 pessoas-ano em mulheres com diagnóstico7 de diabetes2.

Encontrou-se declínios semelhantes em indivíduos sem diabetes2, portanto, a lacuna na mortalidade3 entre aqueles com e sem diabetes2 foi mantida durante o período do estudo.

As taxas de mortalidade3 por causas específicas diminuíram em dez dos 12 grupos de causas, com exceções na demência8 e doença hepática9, que aumentaram em ambas as populações.

O grande declínio nas taxas de mortalidade3 por doenças vasculares4 levou a uma transição de causas vasculares4 para câncer10 como o principal contribuinte para as taxas de mortalidade3 em indivíduos com diabetes2 diagnosticado e para a lacuna nas taxas de mortalidade3 entre aqueles com e sem diabetes2.

O declínio nas taxas de mortalidade3 vascular11 foi acompanhado por uma diversificação das causas em indivíduos com diabetes2 diagnosticado e uma transição de doenças vasculares4 para câncer10 como o principal contribuinte para a morte relacionada ao diabetes2. As abordagens clínicas e preventivas devem refletir essa tendência para reduzir o risco excessivo de mortalidade3 em indivíduos com diabetes2.

Veja também sobre "Doenças cardiovasculares12", "Câncer10", "Opções de tratamentos para o diabetes2" e "Prevenindo o diabetes2 e suas complicações".

 

Fonte: The Lancet Diabetes2 & Endocrinology, publicação em 04 de fevereiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Pesquisa aponta mudanças de tendências nas causas predominantes de morte em indivíduos com e sem diabetes de 2001 a 2018. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1389075/pesquisa-aponta-mudancas-de-tendencias-nas-causas-predominantes-de-morte-em-individuos-com-e-sem-diabetes-de-2001-a-2018.htm>. Acesso em: 18 set. 2021.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
5 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
6 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
9 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
10 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
11 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!