Gostou do artigo? Compartilhe!

Cientistas da OMRF descobrem tratamento potencial para a Doença de Huntington

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Cientistas da Oklahoma Medical Research Foundation (OMRF) identificaram um composto, conhecido como lanthionine ketimine, que promete auxiliar no tratamento da doença de Huntington. Os testes pré-clínicos estão sendo realizados para verificar se o composto pode retardar a progressão desta doença degenerativa1 que afeta o sistema nervoso central2.


Coordenados por Kenneth Hensley, cientistas da OMRF estão realizando testes pré-clínicos usando o composto lanthionine ketimine (LK), derivado de processos metabólicos. Resultados precoces do estudo indicam que a LK pode reduzir a inflamação3 e os danos causados às células nervosas4, retardando assim a deterioração da função motora causada pela doença de Huntington.


Serão testadas duas formas de LK em ratos que foram geneticamente “projetados” para desenvolver os sintomas5 da doença. Os cientistas estudarão se o composto retarda a perda de controle corporal que se manifesta precocemente na doença e também a habilidade para melhorar a função cerebral e inibir a destruição neuronal.


Ainda é cedo para dizer se a LK pode estar ligada a medicamentos para tratar a doença de Huntington em humanos no futuro, mas o coordenador do estudo acredita que o presente estudo possa colaborar para a descoberta de drogas mais efetivas e potentes para tratar esta doença.


A doença de Huntington é uma doença hereditária degenerativa1 que afeta o sistema nervoso central2, causando movimentos involuntários corporais, falta de coordenação e perda progressiva da memória. Atualmente esta doença não tem cura. Seus sintomas5 podem ser controlados com o uso de medicação.


Fonte: Oklahoma Medical Research Foundation

 

NEWS.MED.BR, 2008. Cientistas da OMRF descobrem tratamento potencial para a Doença de Huntington. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/13861/cientistas-da-omrf-descobrem-tratamento-potencial-para-a-doenca-de-huntington.htm>. Acesso em: 25 nov. 2020.

Complementos

1 Degenerativa: Relativa a ou que provoca degeneração.
2 Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo cérebro, medula espinhal e meninges.
3 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
4 Células Nervosas: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!