Gostou do artigo? Compartilhe!

Comportamentos alimentares desordenados estão associados a outros transtornos de saúde mental entre adolescentes

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os transtornos alimentares são transtornos mentais graves com prevalência1 crescente. Sem identificação e tratamento precoces, os transtornos alimentares podem ter um curso de longo prazo.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Network Open, foi caracterizar quaisquer associações entre comportamentos alimentares desordenados (CADs) e outros transtornos de saúde2 mental na adolescência, avaliando em que medida essas associações são geneticamente predispostas, e identificar associações precoces com o desenvolvimento de sintomas3 ao longo do tempo.

Este estudo de coorte4 longitudinal, multicêntrico, de base populacional, usou dados da linha de base (coletados em 2010), acompanhamento 1 (coletados em 2012) e acompanhamento 2 (coletados em 2015) do Estudo IMAGEN, que incluiu adolescentes recrutados nos 8 locais europeus. O presente estudo avaliou dados de 1.623 adolescentes saudáveis, com 14 anos de idade no início do estudo, recrutados em escolas de ensino médio. As análises de dados foram realizadas de janeiro de 2018 a setembro de 2019.

Índice de massa corporal5 (IMC6), sintomas3 de saúde2 mental, comportamentos de uso de substâncias e variáveis ​​de personalidade foram investigados como associações variáveis ​​no tempo de CADs (dieta, compulsão alimentar e purgação) ou mudança no IMC6 ao longo do tempo. Os escores de risco poligênico foram calculados para investigar as contribuições genéticas associadas ao IMC6, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e neuroticismo7 para CADs.

Saiba mais sobre "Transtornos alimentares", "Transtornos afetivos" e "Saúde2 mental - como reconhecer que algo está errado".

Neste estudo de coorte4 de 1.623 adolescentes (829 meninas [51,1%]) recrutados com uma idade média (DP) de 14,5 (0,4) anos e acompanhados nas idades de 16 e 19 anos, 278 adolescentes (17,1%) relataram compulsão alimentar, 334 adolescentes (20,6%) relataram purgação e 356 adolescentes (21,9%) relataram fazer dieta aos 14, 16 ou 19 anos.

Entre os precursores dos CADs, o IMC6 elevado foi associado a futuras dietas (OR, 3,44; IC 95%, 2,09-5,65).

Altos níveis de neuroticismo7 (OR, 1,04; IC 95%, 1,01-1,06), problemas de conduta (OR, 1,41; IC 95%, 1,17-1,69) e automutilação deliberada (OR, 2,18; IC 95%, 1,37- 3,45) foram associados com compulsão alimentar futura.

Baixa agradabilidade (OR, 0,95; IC 95%, 0,92-0,97), automutilação deliberada (OR, 2,59; IC 95%, 1,69-3,95), problemas de conduta (OR, 1,42; IC 95%, 1,20-1,68), abuso de álcool (OR, 1,31; IC de 95%, 1,10-1,54) e abuso de drogas (OR, 2,91; IC de 95%, 1,78-4,74) foram associados a purgação futura.

Os escores de risco poligênico para IMC6 foram associados à dieta (aos 14 anos: OR, 1,27; limite inferior de IC 95%, 1,08; aos 16 anos: OR, 1,38; limite inferior de IC 95%, 1,17); TDAH, à purgação (aos 16 anos: OR, 1,25; limite inferior de IC 95%, 1,08; aos 19 anos, OR, 1,23; limite inferior de IC 95%, 1,06); e neuroticismo7, à compulsão alimentar (aos 14 anos: OR, 1,32; limite inferior de IC 95%, 1,11; aos 16 anos: OR, 1,24; limite inferior de IC 95%, 1,06), destacando sobreposições etiológicas distintas entre essas características.

Os CADs antecederam outros problemas de saúde2 mental, com dieta aos 14 anos associada a sintomas3 futuros de depressão (OR, 2,53; IC 95%, 1,56-4,10), ansiedade generalizada (OR, 2,27; IC 95%, 1,14-4,51), automutilação deliberada (OR, 2,10; IC 95%, 1,51-4,24), problemas emocionais (OR, 1,24; IC 95%, 1,08-1,43) e tabagismo (OR, 2,16; IC 95%, 1,36-3,48). Purgação aos 14 anos também foi associada a sintomas3 futuros de depressão (OR, 2,87; IC 95%, 1,69-5,01) e ansiedade (OR, 2,48; IC 95%, 1,49-4,12).

Assim, essas avaliações longitudinais indicaram que índice de massa corporal5, neuroticismo7, controle de impulso e comportamentos relacionados ao vício aos 14 anos de idade foram diferencialmente associados a futuros comportamentos alimentares desordenados e sintomas3 de depressão e ansiedade generalizada. As análises genéticas sugeriram sobreposições etiológicas entre IMC6, neuroticismo7 e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade com dieta, compulsão alimentar e purgação, respectivamente.

Os resultados deste estudo delineiam associações temporais e etiologias compartilhadas entre comportamentos alimentares desordenados e outros transtornos de saúde2 mental e enfatizam o potencial das avaliações genéticas e fenotípicas8 de obesidade9 (IMC6), transtornos comportamentais (problemas de controle de impulso) e neuroticismo7 (personalidade) para melhorar o diagnóstico10 precoce e diferencial de transtornos alimentares.

Leia sobre "Compulsão alimentar", "Dietas para emagrecer", "Neuroticismo7" e "Transtorno de ansiedade generalizada".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 02 de dezembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Comportamentos alimentares desordenados estão associados a outros transtornos de saúde mental entre adolescentes. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1384048/comportamentos-alimentares-desordenados-estao-associados-a-outros-transtornos-de-saude-mental-entre-adolescentes.htm>. Acesso em: 14 abr. 2021.

Complementos

1 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 Neuroticismo: Compreende um domínio da personalidade. As características dele são muito associadas a dimensões neuróticas da personalidade, como ansiedade, depressão, tensão, irracionalidade; geralmente apresenta características de baixa auto-estima e tendência a sentimentos de culpa.
8 Fenotípicas: Referente a fenótipo, ou seja, à manifestação visível ou detectável de um genótipo. Características físicas, morfológicas e fisiológicas do organismo.
9 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
10 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!