Gostou do artigo? Compartilhe!

Uso de ibuprofeno vs paracetamol para a febre ou dor em crianças menores de 2 anos foi associado à redução da temperatura e menos dor nas primeiras 24 horas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Existem diferenças nos perfis antipirético1, analgésico2 e de segurança do acetaminofeno (paracetamol) em comparação com o ibuprofeno para o tratamento de curto prazo de febre3 ou dor em crianças menores de 2 anos?

O acetaminofeno e o ibuprofeno são os medicamentos de venda livre mais amplamente prescritos e disponíveis para o controle da febre3 e da dor em crianças. Apesar do uso comum desses medicamentos, as recomendações de tratamento para crianças pequenas permanecem divergentes.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Network Open, foi comparar paracetamol com ibuprofeno para o tratamento de curto prazo de febre3 ou dor em crianças menores de 2 anos.

Saiba mais sobre "Febre3", "Cuidados necessários ao tomar anti-inflamatórios" e "Cuidados no uso de medicamentos em crianças".

Foi feita uma pesquisa sistemática das bases de dados MEDLINE, Embase, CINAHL, Cochrane Central Register of Controlled Trials, registro de ensaios ClinicalTrials.gov e Australian New Zealand Clinical Trials Registry desde o início até março de 2019, sem limites de idioma.

Foram considerados estudos de qualquer design que incluíssem crianças menores de 2 anos e comparassem diretamente o paracetamol com ibuprofeno, relatando resultados antipiréticos4, analgésicos5 e/ou de segurança. Não houve limites para a duração do acompanhamento.

Seguindo a diretriz de Itens de Relatório Preferidos para Revisões Sistemáticas e Metanálises (PRISMA), dois autores extraíram independentemente os dados e avaliaram a qualidade. Os dados foram agrupados usando um método de efeitos fixos se I² fosse menor que 50% e usando um método de efeitos aleatórios se I² fosse 50% ou maior.

Os resultados primários foram febre3 ou dor dentro de 4 horas do início do tratamento. Os resultados de segurança incluíram eventos adversos graves, insuficiência renal6, sangramento gastrointestinal, hepatotoxicidade7, infecção8 grave dos tecidos moles, empiema9 e asma10 e/ou sibilo.

No geral, 19 estudos (11 randomizados; 8 não randomizados) de 241.138 participantes de 7 países e vários ambientes de cuidados de saúde11 (baseados em hospitais e comunitários) foram incluídos.

Comparado com o paracetamol, o ibuprofeno resultou em temperatura reduzida em menos de 4 horas (4 estudos com 435 participantes; diferença média padronizada [DMP], 0,38; IC de 95%, 0,08-0,67; P = 0,01; I² = 49%; evidência de qualidade moderada) e em 4 a 24 horas (5 estudos com 879 participantes; DMP, 0,24; IC 95%, 0,03-0,45; P = 0,03; I² = 57%; evidência de qualidade moderada) e menos dor em 4 a 24 horas (2 estudos com 535 participantes; DMP, 0,20; IC 95%, 0,03-0,37; P = 0,02; I² = 25%; evidência de qualidade moderada).

Os eventos adversos foram raros. Paracetamol e ibuprofeno pareceram ter perfis de eventos adversos graves semelhantes (7 estudos com 27.932 participantes; ibuprofeno vs aceteminofeno: razão de chances, 1,08; IC de 95%, 0,87-1,33; P = 0,50, I² = 0%; evidência de qualidade moderada).

Neste estudo, o uso de ibuprofeno vs paracetamol para o tratamento de febre3 ou dor em crianças menores de 2 anos foi associado à redução da temperatura e menos dor nas primeiras 24 horas de tratamento, com segurança equivalente.

Leia sobre "Curiosidades sobre a temperatura do nosso corpo", "Criança com dor de cabeça12" e "Hipertermia".

 

Fonte: JAMA Network Open, publicação em 30 de outubro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Uso de ibuprofeno vs paracetamol para a febre ou dor em crianças menores de 2 anos foi associado à redução da temperatura e menos dor nas primeiras 24 horas. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1382088/uso-de-ibuprofeno-vs-paracetamol-para-a-febre-ou-dor-em-criancas-menores-de-2-anos-foi-associado-a-reducao-da-temperatura-e-menos-dor-nas-primeiras-24-horas.htm>. Acesso em: 27 nov. 2020.

Complementos

1 Antipirético: Medicamento que reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, ele não vai afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
2 Analgésico: Medicamento usado para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
3 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
4 Antipiréticos: Medicamentos que reduzem a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal. Entretanto, eles não vão afetar a temperatura normal do corpo se uma pessoa que não tiver febre o ingerir. Os antipiréticos fazem com que o hipotálamo “ignore“ um aumento de temperatura induzido por interleucina. O corpo então irá trabalhar para baixar a temperatura e o resultado é a redução da febre.
5 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
6 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
7 Hepatotoxicidade: É um dano no fígado causado por substâncias químicas chamadas hepatotoxinas.
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Empiema: Coleção de pus na cavidade pleural.
10 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!