Gostou do artigo? Compartilhe!

Progressão da microangiopatia cerebral está relacionada ao aumento substancial no risco de acidente vascular cerebral a longo prazo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os dados sobre a importância das hiperintensidades da substância branca (WMH, do inglês white matter hyperintensities) / infartos cerebrais lacunares combinados e a progressão deles ao longo do tempo para a previsão de acidente vascular cerebral1 são escassos.

Nesse estudo publicado no jornal Stroke, estudou-se associações entre a progressão em medidas combinadas de microangiopatia cerebral e risco de acidente vascular cerebral1 no estudo ARIC (Atherosclerosis Risk in Communities).

Foi feita uma análise prospectiva de 907 participantes do ARIC livres de AVC que foram submetidos a uma ressonância magnética2 do cérebro3 (MRI) em 1993 a 1995, uma segunda ressonância magnética2 do cérebro3 em 2004 a 2006, e foram subsequentemente acompanhados para incidência4 de AVC até 31 de dezembro de 2017 (mediana [25% –75%] de acompanhamento 12,6 [8,9–13,4] anos).

Saiba mais sobre "Acidente vascular cerebral1 ou derrame5 cerebral" e "Ressonância magnética2".

Uma medida combinada de microangiopatia cerebral foi definida em cada visita e categorizada pela progressão da primeira para a segunda ressonância magnética2 do cérebro3 como: nenhuma progressão, progressão leve (aumento de ≥1 unidade no grau de WMH ou nova lacuna) e progressão moderada (aumento de ≥1 unidade no grau WMH e nova lacuna).

Todos os acidentes vasculares6 cerebrais isquêmicos ou hemorrágicos7 incidentes8 definidos / prováveis ​​ocorridos após essa segunda ressonância magnética2 e até 2017 foram incluídos.

As associações entre microangiopatia cerebral, progressão nas medidas combinadas e incidência4 de AVC foram estudadas com modelos de risco proporcional de Cox, ajustando para idade, sexo, raça, nível de educação, tempo da primeira à segunda ressonância magnética2, índice de massa corporal9, tabagismo, hipertensão10, diabetes mellitus11 e doença cardíaca coronariana.

Na segunda ressonância magnética2 do cérebro3 (idade média de 72), a distribuição da medida combinada foi de 37% grau de WMH <2 e sem lacuna; 57% grau de WMH ≥2 ou lacuna; e 6% grau de WMH ≥2 e lacuna.

Nenhuma progressão nas medidas combinadas foi observada em 38% dos participantes, 57% apresentaram progressão leve e 5% apresentaram progressão moderada. Sessenta e quatro acidentes vasculares6 cerebrais ocorreram durante o período de acompanhamento.

Comparado com nenhuma mudança na medida combinada, a progressão moderada da microangiopatia cerebral foi significativamente associada com maior risco de acidente vascular cerebral1 (razão de risco ajustada, 3,00 [IC de 95%, 1,30–6,94]).

A progressão da microangiopatia cerebral, manifestando-se como novos infartos cerebrais lacunares e aumento no grau de hiperintensidades da substância branca, está relacionada ao aumento substancial no risco de acidente vascular cerebral1 a longo prazo.

Leia sobre "Doenças cardiovasculares12", "Hemorragia13 cerebral" e "Demência14 vascular15".

 

Fonte: Stroke, publicação em 01 de outubro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Progressão da microangiopatia cerebral está relacionada ao aumento substancial no risco de acidente vascular cerebral a longo prazo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1380358/progressao-da-microangiopatia-cerebral-esta-relacionada-ao-aumento-substancial-no-risco-de-acidente-vascular-cerebral-a-longo-prazo.htm>. Acesso em: 22 out. 2020.

Complementos

1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
3 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
5 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Hemorrágicos: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
8 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
9 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
10 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
11 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
12 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
13 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
14 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
15 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!