Gostou do artigo? Compartilhe!

A cirurgia de bypass gástrico em Y de Roux altera a expressão gênica no tecido adiposo subcutâneo em pacientes não diabéticos com obesidade, trazendo benefícios

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O bypass gástrico em Y de Roux (BGYR) é a opção de tratamento mais eficaz e durável para reduzir a adiposidade e controlar as anormalidades da síndrome metabólica1 em pacientes com obesidade2 grave.

Alguns estudos demonstraram que o efeito inicial do BGYR na melhoria dos parâmetros metabólicos se deve à restrição calórica. No entanto, o impacto do BGYR no tecido adiposo3 ainda está em debate.

Saiba mais sobre "Tipos de cirurgia bariátrica4" e "Síndrome metabólica1".

Neste estudo publicado no periódico Diabetes5, da American Diabetes5 Association, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP avaliaram 13 pacientes obesos e não diabéticos (idade média de 37 anos, 100% de mulheres, IMC6 de 42,2 kg/m²) um dia antes da cirurgia, 3 e 6 meses (M) após o BGYR. Alterações na expressão antropométrica, bioquímica e gênica foram avaliadas com ANOVA7 e análise de correlação de Pearson.

O IMC6, a massa gorda8 e a pressão sanguínea diminuíram após 3M e 6M (P ≤0,05 para todos) em comparação com o valor basal. A análise da expressão gênica no tecido adiposo3 coletado na cirurgia em comparação com as amostras coletadas nos pós-BGYR aos 3M e 6M mostrou que as interleucinas (IL6, TNF-α e MCP1) e os genes do estresse do retículo endoplasmático (ERE) (EIF2AK3 e CALR) diminuíram durante o acompanhamento (P ≤0,01 para todos).

No entanto, os genes envolvidos na homeostase energética (ADIPOQ e AMPK), na resposta celular ao estresse oxidativo (SIRT1, SIRT3 e NRF2), na regulação da adipogênese (PPARγ), na biogênese mitocondrial (PGC1α) e no metabolismo9 de aminoácidos (GCN2) aumentaram da linha de base para todos os outros momentos avaliados (P ≤0,01 para todos).

Também observou-se uma forte correlação positiva entre PGC1α, SIRT1 e AMPK com o IMC6 em 3M (P ≤0,01 para todos) e ADIPOQ e SIRT1 com o IMC6 em 6M (P ≤0,01 para todos).

Os resultados demonstram que a perda de peso está associada à melhora da inflamação10 e ERE e maior proteção contra o estresse oxidativo no tecido adiposo3. Essas observações estão fortemente correlacionadas com uma diminuição no IMC6 e com genes essenciais que controlam a homeostase da energia celular, sugerindo um processo adaptativo, no nível de expressão gênica, durante o período de restrição calórica e perda de peso após o BGYR em pacientes sem diabetes5.

Leia sobre "Cirurgia bariátrica4", "Tratando a obesidade2" e "Metabolismo9".

 

Fonte: Diabetes5, publicação em 9 de junho de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. A cirurgia de bypass gástrico em Y de Roux altera a expressão gênica no tecido adiposo subcutâneo em pacientes não diabéticos com obesidade, trazendo benefícios. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1375123/a-cirurgia-de-bypass-gastrico-em-y-de-roux-altera-a-expressao-genica-no-tecido-adiposo-subcutaneo-em-pacientes-nao-diabeticos-com-obesidade-trazendo-beneficios.htm>. Acesso em: 25 nov. 2020.

Complementos

1 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Tecido Adiposo: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
4 Cirurgia Bariátrica:
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
6 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
7 ANOVA: É uma coleção de modelos estatísticos na qual a variância amostral é particionada em diversos componentes devido a diferentes variáveis, que nas aplicações estão associadas a um processo, produto ou serviço. Através desta partição, a técnica ANOVA estuda a influência destes fatores na característica de interesse.
8 Massa gorda: É a porção de massa do organismo constituída de gordura armazenada (encontrada no tecido subcutâneo) e gordura essencial (encontrada nas vísceras, responsável pelo funcionamento fisiológico normal). A massa gorda é o resultado em quilos do percentual de gordura existente no organismo. Por exemplo, um indivíduo de 100 quilos e com percentual de gordura de 38%, pode ter o valor da massa gorda calculado em 38 quilos.
9 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
Gostou do artigo? Compartilhe!