Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo realizado ao longo de duas décadas mostra declínio de doença cardiovascular entre diabéticos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Há evidências de que as complicações relacionadas ao diabetes1 estão diminuindo, mas a maioria das fontes de dados tem limitações.

Agora pesquisadores australianos têm novas evidências de que pacientes com diabetes1 têm menos eventos cardiovasculares hoje do que há 20 anos.

Eles realizaram um estudo observacional longitudinal, publicado pelo Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, com o objetivo de caracterizar as mudanças temporais nas taxas de incidência2 (IRs) de complicações crônicas e mortalidade3 em uma população urbana de australianos de base comunitária bem caracterizados.

Os participantes com diabetes tipo 24 do estudo Fremantle Diabetes1 Study fases I (FDS1; n = 1291 recrutados entre 1993-1996) e II (FDS2; n = 1509 recrutados entre 2008-2011) correspondiam em idade, sexo e CEP a pessoas sem diabetes1 em uma proporção de 1:4.

As principais medidas de resultado foram primeiras hospitalizações por/com infarto do miocárdio5 (IM), acidente vascular cerebral6 (AVC), insuficiência cardíaca7 (IC), amputação8 dos membros inferiores (AMI) e doença cardiovascular (DCV), e mortalidade3 por todas as causas. Foram calculados IRs em cinco anos, taxas de IR (IRRs) para aqueles com versus sem diabetes1 no FDS1 e FDS2 e diferenças de IR (IRDs).

Os 13.995 participantes tinham idade média de 64,8 anos e 50,4% eram do sexo masculino. Houve menores IRRs para IM, AVC, IC e morte por DCV no FDS2 versus FDS1. As IRDs para pessoas com versus sem diabetes tipo 24 haviam reduzido em >50% entre as fases para morte por infarto do miocárdio5, acidente vascular cerebral6, IC, AMI e DCV, sem alteração na IRD para mortalidade3 por todas as causas.

Dentro da coorte9 de diabetes tipo 24 combinada, a participação do FDS2 versus FDS1 foi um preditor inverso independente de acidente vascular cerebral6, IC, morte por DCV e mortalidade3 por todas as causas após o ajuste nos modelos de riscos proporcionais de Cox.

O estudo concluiu que os resultados cardiovasculares nos australianos melhoraram desde os anos 90, especialmente no diabetes tipo 24. A diferença na mortalidade3 por todas as causas entre aqueles com e sem diabetes tipo 24 persistiu, apesar da maior sobrevida10.

Leia sobre "Prevenção do diabetes1 e suas complicações", "Doenças cardiovasculares11" e "Doenças que mais matam no mundo".

 

Fonte: The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, publicação em 30 de abril de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Estudo realizado ao longo de duas décadas mostra declínio de doença cardiovascular entre diabéticos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1366893/estudo-realizado-ao-longo-de-duas-decadas-mostra-declinio-de-doenca-cardiovascular-entre-diabeticos.htm>. Acesso em: 11 ago. 2020.

Complementos

1 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
5 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
6 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
8 Amputação: 1. Em cirurgia, é a remoção cirúrgica de um membro ou segmento de membro, de parte saliente (por exemplo, da mama) ou do reto e/ou ânus. 2. Em odontologia, é a remoção cirúrgica da raiz de um dente ou da polpa. 3. No sentido figurado, significa diminuição, restrição, corte.
9 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
10 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
11 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
Gostou do artigo? Compartilhe!