Gostou do artigo? Compartilhe!

Colesterol não HDL na estratificação de risco cardiovascular: resultados do estudo Multinational Cardiovascular Risk Consortium

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A relevância das concentrações de lipídios no sangue1 para a incidência2 a longo prazo de doenças cardiovasculares3 e a relevância da terapia hipolipemiante para os resultados de doenças cardiovasculares3 não são claras. Pesquisadores do Departamento de Cardiologia da University Heart & Vascular4 Center Hamburg e de outros locais investigaram o risco de doença cardiovascular associado ao espectro completo de concentrações de colesterol5 não HDL6 na corrente sanguínea. Também criaram uma ferramenta fácil de usar para estimar as probabilidades de longo prazo de um evento de doença cardiovascular associado ao colesterol5 não HDL6 e modelaram sua redução de risco por tratamento hipolipemiante.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares3" e "Colesterol5".

Neste estudo de avaliação e modelagem de riscos, foram usados dados do Multinational Cardiovascular Risk Consortium de 19 países da Europa, Austrália e América do Norte. Foram incluídos indivíduos sem doença cardiovascular prevalente no início e com dados disponíveis robustos sobre os resultados da doença cardiovascular. O desfecho composto primário da doença cardiovascular aterosclerótica foi definido como a ocorrência de evento de doença coronariana7 ou acidente vascular cerebral8 isquêmico9.

As análises multivariáveis específicas para o sexo foram calculadas usando categorias de colesterol5 não HDL6, de acordo com os limiares das diretrizes europeias, ajustados para idade, sexo, coorte10 e fatores de risco cardiovascular modificáveis clássicos. Em um projeto de derivação e validação, criou-se uma ferramenta para estimar as probabilidades de um evento de doença cardiovascular aos 75 anos de idade, dependente da idade, sexo e de fatores de risco, e a redução de risco modelada associada, assumindo uma redução de 50% do colesterol5 não HDL6.

Dos 524.444 indivíduos nas 44 coortes da base de dados do Consortium, foram identificados 398.846 indivíduos pertencentes a 38 coortes (184.055 [48,7%] mulheres; idade mediana 51,0 anos [IQR 40,7–59,7]). 199.415 indivíduos foram incluídos na coorte10 de derivação (91.786 [48,4%] mulheres) e 199.431 (92.269 [49,1%] mulheres) na coorte10 de validação.

Durante um acompanhamento máximo de 43,6 anos (mediana 13,5 anos, IQR 7,0-20,1), 54.542 desfechos cardiovasculares ocorreram. As análises da curva de incidência2 mostraram taxas de eventos cardiovasculares progressivamente mais altas em 30 anos para o aumento das categorias de colesterol5 não HDL6 (de 7,7% para colesterol5 não HDL6 <45mg/dL a 33,7% para ≥100 mg/dL11 em mulheres e de 12,8% a 43,6% em homens; p <0,0001).

Os modelos multivariáveis de Cox ajustados com colesterol5 não HDL6 menor que 45 mg/dL11 como referência mostraram um aumento na associação entre a concentração de colesterol5 não HDL6 e doenças cardiovasculares3 para ambos os sexos. A ferramenta derivada permitiu a estimativa de probabilidades de eventos de doenças cardiovasculares3 específicas para o colesterol5 não HDL6, com alta comparabilidade entre as coortes de derivação e validação. Uma redução de 50% das concentrações de colesterol5 não HDL6 foi associada a um risco reduzido de um evento de doença cardiovascular aos 75 anos de idade e essa redução de risco foi maior quando as concentrações anteriores de colesterol5 foram reduzidas.

As concentrações de colesterol5 não HDL6 no sangue1 estão fortemente associadas ao risco a longo prazo de doença cardiovascular aterosclerótica. Com este estudo foi fornecida uma ferramenta simples para avaliação individual de risco a longo prazo e o potencial benefício da intervenção precoce na redução dos lipídios. Esses dados podem ser úteis para as estratégias de prevenção primária.

Leia sobre "Sete passos para um coração12 saudável", "Definição de saúde13 cardiovascular ideal na infância" e "Como aumentar os níveis do colesterol5 HDL6".

 

Fonte: The Lancet, em 03 de dezembro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Colesterol não HDL na estratificação de risco cardiovascular: resultados do estudo Multinational Cardiovascular Risk Consortium. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1353788/colesterol-nao-hdl-na-estratificacao-de-risco-cardiovascular-resultados-do-estudo-multinational-cardiovascular-risk-consortium.htm>. Acesso em: 24 nov. 2020.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
3 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
4 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
5 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
6 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
7 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
8 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
9 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
10 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
11 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
12 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!