Gostou do artigo? Compartilhe!

Refrigerante diet está associado ao aumento de mais do que o dobro do risco de um paciente diabético apresentar retinopatia diabética proliferativa

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores do Centre for Eye Research Australia, do Royal Victorian Eye and Ear Hospital e da University of Melbourne, na Austrália, junto com pesquisadores do Singapore Eye Research Institute (SERI), do Singapore National Eye Centre, da Duke-National of Singapore Medical School e da National University of Singapore, em Singapura, estudaram a relação entre o consumo de refrigerantes e a probabilidade de aparecimento de retinopatia diabética1 proliferativa em pacientes diabéticos.

Embora se saiba que o consumo de refrigerantes possa aumentar o risco de doença cardiovascular, a relação entre o consumo de refrigerantes e as complicações que ocorrem em pacientes diabéticos é desconhecida. Para explorar esta associação entre o consumo de refrigerantes normais e dietéticos, e a retinopatia diabética1 (RD) e o edema macular2 diabético (EMD), este estudo foi realizado e publicado na revista Clinical & Experimental Ophthalmology.

Saiba mais sobre "Diabetes mellitus3", "Retinopatia diabética1" e "Doenças cardiovasculares4".

O estudo clínico, transversal, envolveu adultos com diabetes5 recrutados de um hospital terciário oftalmológico (Melbourne, Austrália) que responderam a um Questionário de Frequência Alimentar. Nenhum consumo, consumo moderado e alto consumo de refrigerantes foram definidos como menos que uma, uma a quatro e mais de quatro latas de 375 ml de refrigerante por semana, respectivamente. Modelos de regressão logística multivariada determinaram as associações entre o consumo de refrigerantes e a presença e severidade de retinopatia diabética1 / edema macular2 diabético (RD/EMD). As principais medidas de resultado foram a presença e a gravidade do RD/EMD.

Dos 609 participantes (média de idade mais ou menos desvio-padrão: 64,6 anos mais ou menos 11,6 anos; homens = 210), 285 (46,8%) consumiram refrigerante diet e 190 (31,2%) consumiram refrigerante regular. Um total de 230 (37,8%) não tinham RD, 36 (5,9%) tinham RD não proliferativa (RDNP) leve, 154 (25,3%) tinham RDNP moderada, 28 (4,6%) tinham RDNP grave e 146 (24,0%) tinham RD proliferativa (RDP).

O consumo elevado de refrigerantes dietéticos foi independentemente associado ao aumento da probabilidade de ter RDP (odds ratio = 2,51, intervalo de confiança de 95% de 1,05 a 5,98), comparado com nenhum consumo. Em contraste, o refrigerante comum não foi associado à RD ou ao EMD.

Concluiu-se no estudo que consumir mais de 4 latas (1,5 litros) de refrigerante dietético por semana está associado a mais do que o dobro do risco de ter RDP em pacientes com diabetes5. No entanto, estudos longitudinais são necessários para elucidar a associação e seus mecanismos de sustentação.

Veja também sobre "Prevenção do Diabetes Mellitus3 e suas complicações".

 

Fonte: Clinical & Experimental Ophthalmology, volume 47, número 7, de setembro/outubro de 2018

 

NEWS.MED.BR, 2019. Refrigerante diet está associado ao aumento de mais do que o dobro do risco de um paciente diabético apresentar retinopatia diabética proliferativa. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1332323/refrigerante-diet-esta-associado-ao-aumento-de-mais-do-que-o-dobro-do-risco-de-um-paciente-diabetico-apresentar-retinopatia-diabetica-proliferativa.htm>. Acesso em: 17 jun. 2019.

Complementos

1 Retinopatia diabética: Dano causado aos pequenos vasos da retina dos diabéticos. Pode levar à perda da visão. Retinopatia não proliferativa ou retinopatia background Caracterizada por alterações intra-retinianas associadas ao aumento da permeabilidade capilar e à oclusão vascular que pode ou não ocorrer. São encontrados microaneurismas, edema macular e exsudatos duros (extravasamento de lipoproteínas). Também chamada de retinopatia simples.
2 Edema macular: Inchaço na mácula.
3 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
4 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
5 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
Gostou do artigo? Compartilhe!