Gostou do artigo? Compartilhe!

Luz artificial noturna pode aumentar risco de câncer de mama invasivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Peter James e outros pesquisadores do Department of Epidemiology, da Harvard T.H. Chan School of Public Health, em Boston, nos Estados Unidos, publicaram no periódico Environmental Health Perspectives um artigo que sugere que a exposição à luz artificial residencial noturna pode contribuir para um risco 14% maior de câncer1 de mama2 invasivo.

Estudos animais e epidemiológicos sugerem que a exposição à luz artificial residencial noturna (LAN) pode prejudicar os ritmos circadianos, pois diminui a secreção noturna de melatonina e atrapalhar a regulação do estrogênio, levando ao aumento do risco de câncer1 de mama2. Com o objetivo de avaliar a associação entre LAN e incidência3 de câncer1 de mama2, foram utilizados dados da coorte4 do Nurses’ Health Study II dos Estados Unidos.

Saiba mais sobre "Câncer1 de mama2" e "7 recomendações do INCA para prevenção e identificação do câncer1 de mama2".

Os pesquisadores seguiram 109.672 mulheres de 1989 a 2013. A exposição acumulada à LAN foi estimada usando dados de satélite variáveis no tempo para um compósito de iluminação noturna persistente a uma escala de ~ 1 km² para cada residência durante o seguimento. Os casos novos de câncer1 de mama2 invasivos foram confirmados por revisão de registro médico. Modelos de risco proporcional de Cox foram utilizados para calcular os índices de risco (HRs) e os intervalos de confiança de 95% (ICs), ajustando os fatores de risco antropométricos, reprodutivos, de estilo de vida e socioeconômicos.

Os resultados mostram que as mulheres expostas a maiores níveis de luz artificial à noite tinham maior chance de desenvolver câncer1 de mama2 do que as que recebiam menores exposições e que esta probabilidade era maior tanto maior o grau de iluminação artificial recebida. Esses resultados só afetaram mulheres na pré-menopausa5 e/ou ex-fumantes.

As conclusões mostram que embora seja necessário continuar os estudos para confirmar os resultados encontrados e esclarecer os potenciais mecanismos envolvidos, os achados sugerem que a exposição à luz artificial residencial noturna pode contribuir para o risco aumentado de câncer1 de mama2 invasivo.

Leia também sobre "Linfonodo6 sentinela", "Limitar o consumo de álcool reduz o risco de câncer1" e "Câncer1 de mama2: tumores metastáticos localizados nos ossos".

 

Fonte: Environmental Health Perspectives, volume 125, número 8, de agosto de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Luz artificial noturna pode aumentar risco de câncer de mama invasivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1302428/luz-artificial-noturna-pode-aumentar-risco-de-cancer-de-mama-invasivo.htm>. Acesso em: 24 out. 2020.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
6 Linfonodo: Gânglio ou nodo linfático.
Gostou do artigo? Compartilhe!