Gostou do artigo? Compartilhe!

Qual o impacto dos níveis de hemoglobina e da anemia sobre a mortalidade no AVC agudo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma revisão sistemática e meta-análise sobre o impacto dos níveis de hemoglobina1 e da anemia2 na mortalidade3 por acidente vascular cerebral4 (AVC) foi realizada com o objetivo de avaliar sistematicamente essa associação e quantificar as provas existentes.

Saiba mais sobre as "Anemias" e o "Acidente Vascular Cerebral4".

O estudo foi publicado pelo periódico Journal of the American Heart Association. Foram analisados registros do UK Regional Registry Data de uma coorte5 de 8.013 pacientes com AVC (média de idade de 77,81 ± 11,83 anos), admitidos por mais de 11 anos consecutivos (janeiro de 2003 a maio de 2015). O impacto dos níveis de hemoglobina1 e da anemia2 sobre a mortalidade3 foi avaliado por valores específicos, por sexo, em diferentes pontos de evolução (7 e 14 dias; 1, 3 e 6 meses; 1 ano), utilizando modelos de regressão múltipla com controle para fatores de confusão.

A anemia2 estava presente em 24,5% da coorte5 na admissão e foi associada à maior chance de mortalidade3 na maioria dos pontos examinados até um ano após o acidente vascular cerebral4. A associação foi menos consistente para homens com acidente vascular cerebral4 hemorrágico6. Níveis elevados de hemoglobina1 também foram associados ao aumento da mortalidade3, principalmente no primeiro mês.

Em seguida, foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados Embase e Medline. Vinte estudos preencheram os critérios de inclusão. Quando combinados à coorte5 do estudo atual, a amostragem populacional tinha 29.943 pacientes com acidente vascular cerebral4. A base de evidência foi quantificada em uma meta-análise. Anemia2 à admissão foi associada a um risco aumentado de mortalidade3 em ambos, acidente vascular cerebral4 isquêmico7 (8 estudos; odds ratio 1,97 [IC 95% 1,57-2,47]) e acidente vascular cerebral4 hemorrágico6 (4 estudos; odds ratio 1,46 [IC 95% 1.23- 1,74]).

Concluiu-se que as fortes evidências sugerem que os pacientes com anemia2 têm um aumento da mortalidade3 no acidente vascular cerebral4. Intervenções podem ser realizadas para esta população de pacientes e podem melhorar os resultados, mas exigem uma avaliação mais aprofundada.

Conheça alguns tipos de anemia2: "Anemia2 por deficiência de ferro", "Anemia perniciosa8", "Anemia2 de Fanconi", "Anemia megaloblástica9", "Anemia falciforme10", "Anemia2 aplástica" e "Anemia2 na gravidez11".

 

Fonte: Journal of the American Heart Association, de 17 de agosto de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Qual o impacto dos níveis de hemoglobina e da anemia sobre a mortalidade no AVC agudo?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1274503/qual-o-impacto-dos-niveis-de-hemoglobina-e-da-anemia-sobre-a-mortalidade-no-avc-agudo.htm>. Acesso em: 15 set. 2019.

Complementos

1 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
2 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
5 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
6 Hemorrágico: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
7 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
8 Anemia Perniciosa: Doença causada pela incapacidade do organismo absorver a vitamina B12. Mais corretamente, ela se refere a uma doença autoimune que resulta na perda da função das células gástricas parietais, que secretam ácido clorídrico para acidificar o estômago e o fator intrínseco gástrico que facilita a absorção da vitamina B12.
9 Anemia megaloblástica: É uma doença na qual a medula óssea produz hemácias gigantes e imaturas. Esse distúrbio é provocado pela carência de vitamina B12 ou de ácido fólico no organismo. Uma vez que esses fatores são importantes para a síntese de DNA e responsáveis pela eritropoiese, a sua falta causa um defeito na síntese de DNA, levando ao desequilíbrio no crescimento e divisão celular.
10 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
Gostou do artigo? Compartilhe!