Gostou do artigo? Compartilhe!

Existe transmissão de doenças neurodegenerativas por transfusão de sangue?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A agregação de proteínas1 deformadas no cérebro2 ocorre em várias desordens neurodegenerativas. A agregação da proteína aberrante, por inoculação3 intracerebral, pode ser induzida em roedores e primatas. A transmissão de doenças neurodegenerativas por transfusão4 sanguínea tem importantes implicações na saúde5 pública, por isso, com o objetivo de investigar a possibilidade de transmissão de doenças neurodegenerativas através de transfusão4 sanguínea foi realizado um estudo, publicado pelo periódico Annals of Internal Medicine.

O estudo de coorte6 retrospectivo7 avaliou os registros de transfusões sanguíneas, na Suécia e na Dinamarca, e incluiu dados de 1.465.845 pacientes que receberam transfusões entre 1968 e 2012. Modelos de regressão multivariada de Cox foram usados para estimar as taxas de risco para qualquer tipo de demência8, doença de Alzheimer9 e doença de Parkinson10 em pacientes que receberam transfusões de sangue11 de doadores que foram posteriormente diagnosticados com qualquer uma destas doenças contra os pacientes que receberam sangue11 de doadores saudáveis. Também foi investigado se o excesso de ocorrência de doença neurodegenerativa ocorreu entre os receptores de sangue11 a partir de um subconjunto dos doadores. Como um controle positivo, a transmissão de hepatite12 crônica, antes e após aplicação de rastreio do vírus13 da hepatite12 C, foi avaliada.

Entre os pacientes incluídos, 2,9% receberam uma transfusão4 de um doador com diagnóstico14 de uma das doenças neurodegenerativas estudadas. Não houve evidência de transmissão de qualquer uma destas doenças, independentemente da abordagem. A taxa de risco para demência8 em receptores de sangue11 de doadores com demência8 contra receptores de sangue11 de doadores saudáveis foi de 1,04 (IC 95%, 0,99-1,09). As estimativas correspondentes para a doença de Alzheimer9 e doença de Parkinson10 foram de 0,99 (IC 95% de 0,85-1,15) e 0,94 (IC 95% de 0,78-1,14), respectivamente. A transmissão da hepatite12 foi detectada antes, mas não após a implementação do rastreamento do vírus13 da hepatite12 C.

Concluiu-se que os dados não proporcionam evidências sobre a transmissão de doenças neurodegenerativas por transfusão4 sanguínea e sugerem que, se esta transmissão ocorre, ela é rara.

Mais orientações sobre transfusão4 e doação de sangue11 em: "Transfusão4 de sangue11: o que é?" e "Doação de sangue11. Quem pode e quem não pode doar?".

 

Fonte: Annals of Internal Medicine, publicação online, de 28 de junho de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Existe transmissão de doenças neurodegenerativas por transfusão de sangue?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1268703/existe-transmissao-de-doencas-neurodegenerativas-por-transfusao-de-sangue.htm>. Acesso em: 23 mai. 2019.

Complementos

1 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
2 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
3 Inoculação: Ato ou efeito de inocular (-se); deixar entrar. Em medicina, significa introduzir (o agente de uma doença) em (organismo), com finalidade preventiva, curativa ou experimental.
4 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
5 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
6 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
7 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
8 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
9 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
10 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
11 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
12 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
13 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
Gostou do artigo? Compartilhe!