Gostou do artigo? Compartilhe!

Presentear pacientes internados com flores não é uma boa opção. Em hospitais, as flores representam riscos de infecção.

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A presença de flores em hospitais está relacionada a infecções1 (principalmente fúngicas2), à captação de insetos (como formigas, moscas e abelhas) e a casos de alergia3 a pólens. Por isso, apesar de serem uma manifestação de amizade e atenção, elas não são um bom presente para pessoas internadas.

A recomendação para evitar flores no interior de hospitais foi publicada, pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), em um manual sobre prevenção e controle de infecção4 hospitalar no tratamento pediátrico. De acordo com este material, já foram descritos casos de transmissão do fungo5 Aspergillus terreus para pacientes6 imunodeprimidos (como os portadores de câncer7 ou do vírus8 HIV9) devido à presença de plantas no ambiente hospitalar. Vários microorganismos patogênicos têm sido isolados de plantas e flores em hospitais, representando potenciais fatores de risco para infecção4.

O ideal é que não haja nenhum tipo de planta nas áreas internas dos hospitais, pois a umidade e a presença de material orgânico em decomposição na terra dos vasos favorece o crescimento de bactérias e de fungos.

 

Dentro de casa também é necessário ter cuidados, principalmente com as crianças. Recomenda-se não colocar flores nos quartos das crianças pelo risco de elas serem picadas por um inseto ou entrarem em contato com microorganismos presentes na terra, além da chance de envenenamento por plantas tóxicas como a copo-de-leite e a comigo-ninguém-pode.

 

É necessário se desfazer das flores tão logo elas percam o viço e trocar a água dos vasos diariamente para evitar a proliferação de bactérias e fungos. Para os que gostam de flores, cultivem-nas no jardim, em ambiente ventilado e ensolarado, ou em estufas adequadas para o seu crescimento. A adoção destas recomendações avita os riscos à saúde10 e colabora para o bem-estar de todos.

 

Fonte: ANVISA

 

Veja o manual completo em:

Prevenção e Controle de Infecções1 Hospitalares

NEWS.MED.BR, 2007. Presentear pacientes internados com flores não é uma boa opção. Em hospitais, as flores representam riscos de infecção.. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/11909/presentear-pacientes-internados-com-flores-nao-e-uma-boa-opcao-em-hospitais-as-flores-representam-riscos-de-infeccao.htm>. Acesso em: 19 set. 2019.

Complementos

1 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Fúngicas: Relativas à ou produzidas por fungo.
3 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
9 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!