Gostou do artigo? Compartilhe!

Consumo de café pela mulher e pelo homem antes de engravidar pode aumentar risco de aborto, segundo trabalho publicado pelo Fertility and Sterility

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os pesquisadores analisaram dados do estudo Longitudinal Investigation of Fertility and the Environment (LIFE), criado para examinar a relação entre a fertilidade, o estilo de vida e a exposição a substâncias químicas ambientais. O estudo deu-se em dezesseis distritos de Michigan e do Texas.

Para a pesquisa atual, os investigadores compararam fatores de estilo de vida como tabagismo, consumo de bebidas com cafeína ou de bebidas alcoólicas e uso de multivitaminas entre 344 casais com uma gestação única a partir de semanas antes da concepção1 até a sétima semana de gravidez2. As mulheres usaram monitores de fertilidade para a detecção da ovulação3 e testes de gravidez2 digitais. A perda da gravidez2 foi indicada por conversão a um teste de gravidez2 negativo, início da menstruação4 ou confirmação clínica dependendo da gestação. Foram estimadas as taxas de risco e os intervalos de confiança para estilos de vida dos casais (tabagismo, bebidas alcoólicas e cafeinadas, multivitaminas) durante três janelas sensíveis: pré-concepção1, gravidez2 precoce e periconcepção. As principais medidas foram a incidência5 e os fatores de risco para a perda da gravidez2.

Noventa e oito das 344 (28%) mulheres com uma gravidez2 única tiveram aborto espontâneo. Para o período de pré-concepção1, o aborto foi associado com a idade do sexo feminino de 35 ou superior, para uma taxa de risco de 1,96 (quase duas vezes o risco de aborto de mulheres mais jovens). O estudo não foi desenhado para provar conclusivamente a relação de causa e efeito. Os autores citaram possíveis explicações para o maior risco, incluindo idade avançada do espermatozoide6 e do óvulo7 em casais mais velhos ou exposição cumulativa a substâncias no ambiente, que poderiam ser esperados de aumentar à medida que as pessoas envelhecem.

O consumo de mais de duas bebidas com cafeína por dia pela mulher e pelo homem também foi associado a uma taxa de risco aumentada: 1,74 para mulheres e 1,73 para o sexo masculino. Os pesquisadores também observaram uma redução no risco de aborto para as mulheres que tomaram um multivitamínico diariamente. Durante o período pré-concepção1, os investigadores encontraram uma redução de 55% no risco de perda da gravidez2. As mulheres que continuaram a tomar as vitaminas durante a gravidez2 precoce tiveram uma taxa de risco com uma redução do risco de 79%. Os autores citaram outros estudos que dizem que o uso de vitamina8 B6 e de ácido fólico na pré-concepção1 e na gravidez2 reduz o risco de aborto espontâneo. Suplementos de ácido fólico são recomendados para mulheres em idade fértil, nas semanas que antecederam a concepção1 e após a concepção1, reduzindo o risco de ter um bebê com defeitos do tubo neural9.

 

Fonte: Fertility and Sterility, publicação online, de 22 de março de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Consumo de café pela mulher e pelo homem antes de engravidar pode aumentar risco de aborto, segundo trabalho publicado pelo Fertility and Sterility. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/824859/consumo-de-cafe-pela-mulher-e-pelo-homem-antes-de-engravidar-pode-aumentar-risco-de-aborto-segundo-trabalho-publicado-pelo-fertility-and-sterility.htm>. Acesso em: 25 out. 2020.

Complementos

1 Concepção: O início da gravidez.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
4 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Espermatozóide: Célula reprodutiva masculina.
7 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
8 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
9 Tubo neural: Estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal. Durante a gestação humana, o tubo neural dá origem a três vesículas: romboencéfalo, mesencéfalo e prosencéfalo.
Gostou do artigo? Compartilhe!