Gostou do artigo? Compartilhe!

Apneia obstrutiva do sono encontrada em dois de cada cinco pacientes com diabetes tipo 1, segundo trabalho publicado na 75° sessão científica da American Diabetes Association

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A associação entre a apneia obstrutiva do sono1 (AOS) e o diabetes2 tipo 2 já está bem estabelecida. No entanto, o potencial de ligação existente entre a AOS e o diabetes tipo 13 ainda é pouco investigado.

Em apresentação realizada pelo Dr. Laurent Meyer, endocrinologista4 do Hospital Universitário de Estrasburgo, na 75° sessão científica da American Diabetes2 Association que está ocorrendo em Boston, avaliou-se pacientes com diabetes tipo 13 para verificar a associação desta patologia5 com a síndrome6 da apneia obstrutiva do sono1 (SAOS). Esta ligação entre diabetes2 tipo 1 e AOS já foi relatada em três pequenos ensaios clínicos7 anteriores.

Estudou-se a prevalência8 da síndrome6 da apneia obstrutiva do sono1 (SAOS) em uma população de 90 indivíduos com diabetes2 tipo 1. A AOS, definida por um índice de apneias/hipopneias (IAH)>10/hora, foi diagnosticada pela polissonografia9 noturna (n=54) ou por poligrafia respiratória (n=36). A monitorização contínua da glicose10 (DexCom, Novalab) foi realizada em 21 indivíduos durante a poligrafia respiratória noturna. A técnica ANOVA11 para medidas repetidas foi utilizada para comparar os parâmetros do perfil de glicose10 durante os períodos de sono e vigília, em pacientes com ou sem SAOS. A média de idade da população deste estudo foi de 52,8±11 anos, o IMC12 foi de 26±4,7 kg/m², a duração do diabetes2 foi de 28,8±14 anos e a HbA1c13 de 7,59±1,1%. A AOS foi encontrada em 43% (39/90) dos pacientes e a AOS grave (IAH>30/hora) em 20% dos pacientes (18/90). Pacientes com AOS eram mais velhos: 55±12 anos versus 49±12 anos, p<0,05; e com uma duração mais longa do diabetes2: 33±14 anos versus 25±14 anos, p<0,05; enquanto a HbA1c13 não foi diferente entre os dois grupos: 7,7±1,0% versus 7,6±1,1%. Os parâmetros do perfil de glicose10 foram analisados em pacientes com (n=7) ou sem AOS (n=14). O percentual de valores de glicose10 <60 mg/dl14 foi significativamente aumentado no grupo AOS durante o sono: 14,3±4,9% vs 2,4±4,5%, p=0,05; e similar durante o período de vigília: 4,8±4,7% vs 4,7±5,4%. Houve também uma tendência para uma maior percentagem de valores de glicose10 >180 mg/dl14 e para os índices mais elevados de variabilidade de glicose10 (“mean amplitude of glycemic excursions” ou “MAGE” e “standard deviation”, “SD” ou “CV”).

Em conclusão, a prevalência8 de SAOS é elevada em pacientes com diabetes2 tipo 1. Os pacientes com SAOS parecem ter uma maior variabilidade de glicose10 durante o período de sono. A principal mensagem para os profissionais de saúde15 é pensar na síndrome6 da apneia obstrutiva do sono1 nos pacientes com diabetes2 tipo 1 de longa duração e na prevenção de complicações microvasculares. Novos estudos longitudinais de longo prazo são necessários para avaliar mais profundamente tais conclusões.

Fonte: 75° Sessão Científica da American Diabetes2 Association, em 5 de junho de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Apneia obstrutiva do sono encontrada em dois de cada cinco pacientes com diabetes tipo 1, segundo trabalho publicado na 75° sessão científica da American Diabetes Association. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/791347/apneia-obstrutiva-do-sono-encontrada-em-dois-de-cada-cinco-pacientes-com-diabetes-tipo-1-segundo-trabalho-publicado-na-75-sessao-cientifica-da-american-diabetes-association.htm>. Acesso em: 18 nov. 2019.

Complementos

1 Apnéia obstrutiva do sono: Pausas na respiração durante o sono.
2 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
3 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
4 Endocrinologista: Médico que trata pessoas que apresentam problemas nas glândulas endócrinas.
5 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
6 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
7 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
8 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
9 Polissonografia: Exame utilizado na avaliação de algumas das causas de insônia.
10 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
11 ANOVA: É uma coleção de modelos estatísticos na qual a variância amostral é particionada em diversos componentes devido a diferentes variáveis, que nas aplicações estão associadas a um processo, produto ou serviço. Através desta partição, a técnica ANOVA estuda a influência destes fatores na característica de interesse.
12 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
13 HbA1C: Hemoglobina glicada, hemoglobina glicosilada, glico-hemoglobina ou HbA1C e, mais recentemente, apenas como A1C é uma ferramenta de diagnóstico na avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Atualmente, a manutenção do nível de A1C abaixo de 7% é considerada um dos principais objetivos do controle glicêmico de pacientes diabéticos. Algumas sociedades médicas adotam metas terapêuticas mais rígidas de 6,5% para os valores de A1C.
14 Mg/dL: Miligramas por decilitro, unidade de medida que mostra a concentração de uma substância em uma quantidade específica de fluido.
15 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!