Gostou do artigo? Compartilhe!

Sarampo está associado à perda de memória imunológica podendo predispor a infecções ao longo de até três anos após a doença

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A imunossupressão1 após o sarampo2 é conhecida por predispor a infecções3 oportunistas por um período de várias semanas a meses. Recentemente um trabalho publicado pela revista Science mostra que na verdade este efeito sobre a memória imunológica pode se estender por um período de dois a três anos após a doença.

Usando dados populacionais dos Estados Unidos, Dinamarca e parte do Reino Unido, pesquisadores da Universidade de Princeton, nos EUA, mostraram que o sarampo2 tem um efeito mais prolongado sobre a resistência do hospedeiro podendo predispor quem já teve sarampo2 a outras infecções3 por um período que se estende por até três anos. Os pesquisadores acreditam que a mortalidade4 por doenças infecciosas diferentes do sarampo2 em países de alta renda está intimamente ligada à incidência5 de sarampo2. E concluíram que as sequelas6 imunológicas de longo prazo desta doença conduzem a flutuações interanuais em mortes que não tem o sarampo2 como causa. Isto é consistente com um trabalho experimental recente que atribui os efeitos imunossupressores de sarampo2 à depleção7 de linfócitos B e T.

Os dados do presente estudo fornecem uma explicação para os benefícios de longo prazo da vacinação contra o sarampo2 na prevenção de todas as causas de doenças infecciosas. Ao impedir o sarampo2, que está associado à perda de memória imunológica (o que os cientistas chamam de amnésia8 imunológica), a vacinação protege contra várias outras doenças microbianas.

Fonte: Science, volume 348, número 6235, de 8 de maio de 2015 

NEWS.MED.BR, 2015. Sarampo está associado à perda de memória imunológica podendo predispor a infecções ao longo de até três anos após a doença. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/756212/sarampo-esta-associado-a-perda-de-memoria-imunologica-podendo-predispor-a-infeccoes-ao-longo-de-ate-tres-anos-apos-a-doenca.htm>. Acesso em: 13 dez. 2018.

Complementos

1 Imunossupressão: Supressão das reações imunitárias do organismo, induzida por medicamentos (corticosteroides, ciclosporina A, etc.) ou agentes imunoterápicos (anticorpos monoclonais, por exemplo); que é utilizada em alergias, doenças autoimunes, etc. A imunossupressão é impropriamente tomada por alguns como sinônimo de imunodepressão.
2 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
3 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
7 Depleção: 1. Em patologia, significa perda de elementos fundamentais do organismo, especialmente água, sangue e eletrólitos (sobretudo sódio e potássio). 2. Em medicina, é o ato ou processo de extração de um fluido (por exxemplo, sangue) 3. Estado ou condição de esgotamento provocado por excessiva perda de sangue. 4. Na eletrônica, em um material semicondutor, medição da densidade de portadores de carga abaixo do seu nível e do nível de dopagem em uma temperatura específica.
8 Amnésia: Perda parcial ou total da memória.
Gostou do artigo? Compartilhe!